Cotações por TradingView

Quando ocorre flipagem em FIIs?

Tempo de leitura: 6 minutos

O mercado financeiro oferece diversas técnicas e estratégias que podem ajudar a incrementar os resultados dos investimentos em fundos imobiliários (FIIs). Contudo, vale destacar que a flipagem em FII possui viés especulativo.

Por esse motivo, é fundamental ter um bom conhecimento do mercado e do ativo antes de colocá-la em prática. Assim, conhecer o processo ajuda a entender se ele está adequado às suas expectativas e necessidades.

Neste artigo, você entenderá sobre o processo de flipagem com FIIs e o seu funcionamento. Continue acompanhando para saber mais!

O que você verá neste artigo:
O que é e como funciona a flipagem?
Como ela ocorre nos fundos imobiliários?
Quando ele ocorre?
Quais as vantagens e riscos da flipagem?
Quais cuidados ter ao realizar a flipagem em FIIs?

O que é e como funciona a flipagem?

Flipagem é uma palavra que deriva do verbo “to flip”, que pode ser traduzido como virar. No mercado financeiro, o termo se refere a uma operação realizada na Bolsa de Valores. Esse processo é mais tradicional no mercado de ações, mas também ocorre com cotas de fundos de investimento imobiliário.

Nesse caso, quem realiza a operação compra ações ou cotas de fundos antecipadamente para vendê-las em seu dia de estreia na Bolsa. Portanto, trata-se de uma estratégia de especulação com riscos elevados, mas que pode resultar em lucros no curto prazo.

Vale saber que o especulador que executa esse tipo de operação na Bolsa é chamado flipper, devido às características específicas dessa abordagem. Afinal, ele busca lucrar com a diferença de preços dos ativos recém-lançados no mercado.

Isso é possível porque, normalmente, o preço de ações e cotas apresentam bastante volatilidade nos primeiros instantes de sua oferta na Bolsa. Com isso, o especulador pode recuperar o dinheiro gasto na operação e obter uma margem de lucro.

Contudo, não existem garantias no mercado de renda variável. Isso significa que o preço pode não se comportar da forma como o fliper espera. Logo, existe a possibilidade de ele ter prejuízos financeiros com a estratégia.

Como ela ocorre nos fundos imobiliários?

Como você viu, a flipagem pode ocorrer tanto com ações como com cotas de FIIs. No caso dos fundos imobiliários, existem duas possibilidades: quando ele já está em operação ou quando é um fundo novo no mercado.

Quando um FII já existente faz uma nova emissão de cotas, o processo é chamado follow-on. Esse instrumento é válido tanto para ações como para os fundos de investimento imobiliário.

No follow-on dos FIIs, o gestor deve dar aos cotistas atuais o direito de preferência para a aquisição das cotas que serão lançadas. Em geral, quando o fundo imobiliário tem bom histórico de desempenho e os cotistas confiam no trabalho do gestor, eles tendem a exercer o direito de preferência.

Se isso ocorrer, os cotistas seguirão as estratégias que mais se alinham às suas necessidades. Isso significa que nem sempre os investidores permanecerão com as cotas adquiridas no follow-on.

Se optarem pela flipagem, por exemplo, eles podem comprar apenas para aproveitar o preço abaixo do valor patrimonial. Nesse caso, assim que a oferta terminar, o investidor venderá as cotas recém-adquiridas e poderá lucrar com a operação.

A outra possibilidade é aproveitar o lançamento de novos fundos imobiliários no mercado, que acontece com a oferta pública inicial (IPO). No entanto, não há um histórico de rentabilidade para o especulador avaliar.

Dessa forma, a decisão de compra das cotas não será baseada na análise passada, como ocorre com os FIIs já existentes. Então a escolha será baseada na expectativa de resultados do FII, o que dificulta a identificação de como as cotas tendem a se comportar na estreia na Bolsa.

Para facilitar, uma possibilidade é comparar o novo fundo aos semelhantes a ele que já estão disponíveis no mercado. Contudo, essa é uma operação de maior risco.

Quando ele ocorre?

Como visto, a flipagem em FII ocorre em duas situações: quando um fundo já existe — em um follow-on, por exemplo — e em um fundo novo. Nos fundos imobiliários novos, o uso da técnica é mais arriscado.

Isso porque, como você aprendeu, não haverá um histórico do FII para o especulador se embasar. Logo, fica mais difícil tentar adiantar como os preços das cotas se comportarão quando houver a estreia.

Por outro lado, em fundos que já estão em operação, a flipagem pode ser mais simples. Nessa situação, já existem informações sobre o FII para embasar sua decisão. Além disso, se o preço da oferta for mais baixo que o de mercado, o lucro do fliper pode aumentar.

Quais as vantagens e riscos da flipagem?

Antes de começar a operar, também é importante conhecer as vantagens e riscos da flipagem. Um dos principais benefícios da estratégia é a possibilidade de obter ganhos rápidos em uma situação em que pode haver grandes movimentações de preços, como no IPO ou follow-on.

Como o especulador busca lucrar com a volatilidade, há mais oportunidades. Por outro lado, existem riscos relacionados com a imprevisibilidade da renda variável. Afinal, não há garantias de lucratividade nas operações realizadas na bolsa de valores.

Ademais, quando o especulador receber as cotas subscritas, o mercado poderá estar se comportando de maneira diferente do momento em que houve a emissão. Se o preço das cotas estiver abaixo do que foi pago, a operação não trará resultado positivo.

Quando isso acontece, o especulador deve analisar se faz sentido vender abaixo do preço médio ou se deve esperar um momento oportuno para realizar a venda.

Quais cuidados ter ao realizar a flipagem em FIIs?

Se você se interessou em realizar a flipagem em FIIs, o primeiro cuidado que deve tomar é analisar o seu perfil de investidor. Por se tratar de uma estratégia com viés especulativo, os riscos são maiores. Nesse sentido, é necessário ter maior apetite ao risco para operar com flipagem em FIIs.

Por essa característica, investidores com perfil arrojado e máxima tolerância a perdas e à volatilidade tendem a se beneficiar da estratégia. Também é preciso considerar que as operações são de curto prazo. Portanto, é fundamental que seus objetivos não envolvam horizontes maiores de tempo.

Outro cuidado importante para ser um fliper é estudar para ter conhecimentos sobre o mercado e fundos imobiliários, permitindo realizar análises mais acertadas. Por esse motivo, essa prática pode não ser adequada para investidores iniciantes, por exemplo.

Com essas informações, você entendeu quando e como ocorre a flipagem em um FII. Na prática, essa estratégia visa aumentar a remuneração da sua carteira de fundos, mas deve ser adotada com cuidado. Contudo, avalie seu perfil e objetivos para entender se vale utilizá-la nas suas operações.

Gostou do conteúdo? Então complemente a leitura e conheça as melhores alternativas de investimento a curto prazo!

Relacionados

Como identificar um pullback ao fazer análise gráfica? 9 Dicas que podem ajudar!

Quem opera na bolsa de valores com foco na especulação deve conhecer fenômenos e movimentos que podem ajudar na tomada de [...]

Guide Investimentos - 02/12/2021

Como economizar para gastar com consciência e começar a investir? 6 Passos definitivos!

Quem deseja começar a investir costuma enfrentar algumas dificuldades no início dessa jornada. A principal se relaciona com a capacidade de [...]

Guide Investimentos - 01/12/2021

O que é Tesouro Prefixado?

O Tesouro Prefixado é um dos títulos disponíveis do Tesouro Direto, cuja rentabilidade é uma taxa fixa definida no momento da [...]

Syntax Finance - 30/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções