Levi defende no STF gratuidade no direito de passagem das teles; SP é contra

Tempo de leitura: 1 minuto

Favorável a gratuidade garantida às empresas de telecomunicações para instalação de equipamentos de infraestrutura em locais públicos, o governo Bolsonaro argumentou no Supremo Tribunal Federal (STF) que a não cobrança garante que o desenvolvimento do setor não se restrinja a localidades mais vantajosas economicamente. O advogado-Geral da União, José Levi, afirmou ainda que, caso o pagamento seja exigido, haverá um incremento nos custos dos serviços.

O caso é analisado nesta quarta-feira, 17, pelo STF, em ação apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a gratuidade prevista na Lei Geral das Antenas. Para a PGR, essa regra é inconstitucional porque livra qualquer operador na área de telecomunicações, mesmo que atue em regime privado, de qualquer compensação financeira pela utilização do patrimônio público. Além disso, argumenta que o governo federal não poderia liberar o pagamento nos casos em que as vias públicas são de Estados ou municípios.

Já o AGU defendeu que a União, segundo a Constituição, tem competência privativa para legislar sobre o tema. Levi pontuou também que, se uma lei federal não estabelecesse uma regra geral sobre esse tipo de cobrança, os diferentes níveis de pagamento exigidos em Estados e municípios iriam impor “dificuldades exorbitantes” para as teles calcularem os valores devidos pelo direito de passagem.

Em mais um episódio de antagonismo entre o governo Bolsonaro e o Estado de São Paulo, a procuradoria estadual também se manifestou no caso, em posição contrária a da AGU. Na mesma linha da PGR, o procurador estadual Leonardo Cocchieri Leite Chaves afirmou que a legislação não poderia retirar de Estados e municípios a autoridade sobre o recebimento dessas receitas, sobretudo quando a não cobrança é feita em favor de empresas que atuam em regime privado.

“Cabe ao STF velar pela autonomia federativa”, disse Chaves, pedindo para que a Corte entenda que a legislação não alcança os bens e infraestruturas municipais e estaduais.

Relacionados

Bolsas de NY fecham em baixa, com pressão por notícia de elevação de imposto

As bolsas de Nova York fecharam em queda. Além de um movimento aparente de realização de lucros após ganhos recentes, no [...]

Estadão - 22/04/2021

Abinee: falta de componentes gera atrasos em mais fábricas de eletroeletrônicos

Apesar de alguns sinais de melhora no abastecimento das fábricas, a indústria de eletroeletrônicos continua enfrentando dificuldade na compra de materiais [...]

Estadão - 22/04/2021

Petróleo fecha em leve alta após quedas recentes

Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve alta nesta quinta-feira, após quedas recentes, observando sinalizações sobre a demanda. O avanço [...]

Estadão - 22/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções