O que é e como funciona o come-cotas?

Tempo de leitura: 11 minutos

Para um investidor alocar seus recursos em um fundo de investimentos, é preciso adquirir as chamadas cotas de participação. São elas que passam por valorização ou queda de preço, afetando o patrimônio. Também é sobre elas que incide a cobrança do chamado come-cotas.

O que veremos neste artigo?
O que é come-cotas?
Como funciona o come-cotas?
Quais fundos de investimento possuem come-cotas?
Quais fundos não sofrem incidência de come-cotas?
Quais são as alíquotas do come-cotas?
Como é feito o cálculo do come-cotas?
Como é a cobrança de IR nos fundos de investimento?
É possível não fazer o pagamento de come-cotas?
Quais as vantagens e desvantagens do come-cotas?
Por que é importante conhecer o sistema de come-cotas?
Vale a pena investir em fundos com come-cotas?
Conclusão

Conhecer essa cobrança de Imposto de Renda é fundamental para acompanhar os descontos e gerenciar melhor seu portfólio. Com isso, você não corre o risco de ser surpreendido diante de um número menor de cotas disponíveis na carteira, por exemplo.

Na sequência, descubra o que é o come-cotas e compreenda quais são os pontos mais relevantes sobre ele!

O que é come-cotas?

Os fundos de investimentos são veículos ou modalidades de investimentos coletivos. O investidor adquire cotas e pode resgatá-las quando quiser sair do investimento ou realizar lucros, por exemplo. Nesse sentido, é preciso organizar o pagamento de Imposto de Renda.

Em alguns fundos, a Receita Federal considera que não há como saber em qual momento você pretende sacar os valores devidos. Para garantir o acerto dos valores devidos de tributos, ela faz uma antecipação semestral do Imposto de Renda. Esse é, exatamente, o come-cotas.

Como funciona o come-cotas?

Para fazer a antecipação, a Receita Federal usa como base uma alíquota, que incidirá sobre os ganhos dos fundos no período. Essa incidência depende do tipo de fundo e do período de aplicação e, mais à frente, você conhecerá os números.

O valor será descontado proporcionalmente na forma de cotas. Note que não é o seu saldo que é alterado e, sim, a quantidade de cotas. Isso impede que o desconto seja muito maior em um momento de valorização ou muito menor se o preço de negociação das cotas estiver em baixa.

O desconto acontece automaticamente, como se fosse um resgate parcial das cotas. Quando você resgatar o total aportado nos fundos, será calculada a diferença entre o Imposto de Renda devido e o que já foi pago nesses descontos.

Como vimos, as datas dos come-cotas são semestrais. A cobrança acontece sempre no último dia de maio e de novembro. Nesses meses, o investidor verá no extrato um resgate de cotas que ele não fez. Por isso, é importante entender o assunto para não se surpreender e achar que houve um erro.

Quais fundos de investimento possuem come-cotas?

 Não são todos os fundos de investimentos que têm a incidência de come-cotas. Entre os que passam por essa cobrança, estão:

  • fundos de renda fixa;
  • fundos cambiais;
  • fundos de crédito privado;
  • fundos de ouro;
  • fundos multimercados;
  • fundos DI.

Mesmo com estratégias diferentes quanto à alocação em ativos, eles compartilham essa característica sobre o pagamento de impostos. O come-cotas incide de modo equivalente em todos eles.

Quais fundos não sofrem incidência de come-cotas?

Da mesma maneira que existem fundos sobre os quais incidem come-cotas, há alternativas que não passam por essa cobrança. Veja quais são os principais:

No caso de uma alternativa que não possui come-cotas, como é o caso do fundo de ações, a única incidência (quando aplicável) de IR ocorre no momento de resgate ou venda das cotas.

Quais são as alíquotas do come-cotas?

A cobrança antecipada de IR, prevista pelo come-cotas, ocorre pelo menor valor cobrado de IR, dependendo de cada tipo de fundo.

Para entender melhor, veja as duas classificações!

Fundos de curto prazo

Os fundos de curto prazo, como o nome indica, têm uma duração média menor. Em geral, o prazo de vencimento dos títulos e investimentos é de 365 dias. Para a incidência de come-cotas, os fundos classificados dessa forma passam por um desconto de 20% sobre os ganhos.

Fundos de longo prazo

Já os fundos de longo prazo são alternativas cujos ativos têm duração média superior a 365 dias. Eles costumam ser buscados por quem procura investimentos de longo prazo. A alíquota é de 15% para a antecipação de IR via come-cotas.

Para saber em qual classificação um fundo se encaixa, é recomendado conferir as informações fornecidas pela gestora. É o caso de avaliar a lâmina para entender qual é a classificação e já se preparar para o desconto.

Atenção: em ambos os casos, a incidência ocorre sobre os ganhos que foram consolidados ao longo do semestre de apuração e não sobre o valor total investido. Então, caso o resultado seja negativo no semestre, não haverá cobrança por parte da Receita Federal.

Como é feito o cálculo do come-cotas?

Para realmente compreender como o come-cotas funciona, é interessante saber como é feito o cálculo que leva ao desconto das cotas. Assim, você poderá aplicar a mesma lógica à sua situação.

Imagine que um investidor decide aportar R$ 10 mil em um fundo cambial no qual cada cota é negociada a R$ 10,00. Isso dá origem a 1.000 cotas.

O investimento é feito no primeiro dia de dezembro, até que no final de maio há a consolidação de resultados do semestre. No último dia do mês, imagine que o valor total soma R$ 11 mil, pois cada cota é negociada a R$ 11,00. O rendimento, então, foi de R$ 1 mil.

Considerando que se trata de um fundo de longo prazo, a alíquota será de 15% — o que leva a um desconto de R$ 150,00. Com isso, são descontadas cerca de 14 cotas, fazendo com que seu novo saldo seja de 986 cotas.

No último dia de novembro, haverá uma nova incidência do come-cotas. Nesse dia, serão consideradas as cotas restantes — 986 cotas, caso você não tenha feito novos aportes. Portanto, o impacto principal é que seu nível de participação no fundo se torna menor.

Como é a cobrança de IR nos fundos de investimento?

Como você viu, o come-cotas é um sistema de antecipação do IR devido pela alocação de recursos nesse veículo. Porém, ele não responde por todo o recolhimento de Imposto de Renda. No momento do resgate, também há a incidência de uma alíquota.

Ela varia com o tipo de fundo e o seu período de investimento. Fundos de longo prazo seguem a tabela regressiva de Imposto de Renda. Veja:

    Alíquota incidente conforme período de investimento  
  Até 180 dias     22,5%  
  De 181 a 360 dias     20%  
De 361 a 720 dias   17,5%  
Acima de 720 dias   15%  

Já os fundos de curto prazo têm menos possibilidades quanto à alíquota incidente. Confira as taxas praticadas:

    Alíquota incidente conforme período de investimento  
  Até 180 dias     22,5%  
  A partir de 180 dias     20%  

No momento do resgate, a taxa incide sobre todo o rendimento, dada pela diferença entre o preço médio de venda das cotas e o preço médio de aquisição delas. Se o resultado for positivo, é sinal que houve rentabilidade.

Porém, do valor encontrado há um desconto em relação aos impostos que são pagos de maneira antecipada. No final, você só precisará arcar com a diferença, o que leva a um pagamento total menor.

É possível não fazer o pagamento de come-cotas?

Na hora de pagar Imposto de Renda, algumas operações dependem da atuação do investidor. Ao ter lucro com vendas acima de R$ 20 mil de ações no mês, por exemplo, é necessário emitir um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) para pagar o imposto devido.

No caso dos fundos de investimento negociados fora da bolsa, entretanto, o processo é automático e o desconto ocorre diretamente na fonte. Então, assim que você resgatar suas cotas, o IR já será cobrado.

O mesmo vale para o come-cotas. Tal cobrança ocorre de modo automático, sem que o investidor se esqueça de pagar, por exemplo. Na prática, traz mais praticidade, já que não é preciso se preocupar em realizar o pagamento a cada semestre.

Assim, um aspecto positivo dessa obrigatoriedade é que você se mantém regular com a Receita. Como os descontos são automáticos e feitos diretamente na fonte, você quita as obrigações devidas nesse sentido.

Quais as vantagens e desvantagens do come-cotas?

Como vimos, o come-cotas é um sistema automático, então não existe a chance de você decidir não adotá-lo. No entanto, ainda assim vale a pena conhecer seus aspectos positivos e negativos, os quais podem ajudar na tomada de decisão quanto à escolha dos fundos.

O primeiro aspecto que pode ser considerado positivo é o desconto acontecer automaticamente. Isso diminui consideravelmente o nível de burocracia ou dificuldade para acertar sua situação junto à Receita Federal, por exemplo.

Ainda sobre os aspectos positivos, há o fato de que a antecipação do Imposto de Renda promove o pagamento da cobrança aos poucos. Assim, no momento do resgate pode não haver imposto devido — ou apenas uma pequena parte.

No entanto, é preciso considerar que o desconto de cotas pode interferir diretamente na capacidade de gerar rentabilidade. Afinal, as cotas que deixam de integrar sua carteira também deixam de gerar resultados no longo prazo. Como consequência, o retorno geral pode ser afetado.

O efeito prático é que as cotas que poderiam render até o momento de resgate não o fazem. Então, o potencial dos juros compostos não é aproveitado completamente. No caso dos fundos de longo prazo, os impactos se acumulam com o tempo e podem gerar diferença significativa.

Sendo assim, é importante entender que, no geral, o come-cotas não passa de uma antecipação de um imposto que já seria devido ao investir em fundos com rendimentos tributáveis. Contudo, a cobrança antecipada pode gerar efeitos nos resultados.

Por que é importante conhecer o sistema de come-cotas?

Saber como funciona a antecipação de Imposto de Renda e, principalmente, quais são seus impactos é fundamental para o investidor. Afinal, você acabou de ver que o IR pode fazer diferença na conquista de rendimentos com a sua carteira de investimentos.

Portanto, conhecê-lo bem ajuda a tomar decisões. Sabendo que um fundo tem come-cotas, você pode se preparar para os possíveis impactos que podem ocorrer na rentabilidade. Com valores maiores aplicados, os efeitos tendem a ser mais intensos, então é preciso considerar isso.

Também é importante para alinhar suas expectativas e seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Sabendo quais podem ser os descontos e o quanto pode afetar o desempenho da carteira, é possível definir se o investimento em determinado fundo atende ao que você precisa e espera.

Na prática, a ideia é compreender o sistema antes mesmo de fazer o investimento. Assim, você tem informações mais profundas para decidir se vale a pena alocar seus recursos em determinado veículo. Também poderá saber o que esperar do fundo em termos de desempenho.

Essa é uma forma de não estar desprevenido — o que permitirá que você entenda completamente a diminuição de cotas nas datas específicas.

Vale a pena investir em fundos com come-cotas?

Muitas pessoas consideram o sistema do come-cotas como uma cobrança negativa. Embora ele não crie um imposto (e apenas o antecipe), faz com que as cotas retiradas deixem de render até o resgate.

Ainda assim, é importante ponderar se a existência de imposto antecipado é suficiente para tornar um fundo de investimento desvantajoso. Mais que enxergar o come-cotas de modo negativo, o ideal é se preparar para o sistema e seus impactos, considerando também outros aspectos.

Por exemplo, seus objetivos. Escolher um fundo cambial pode ser uma maneira de expor seu patrimônio ao câmbio e de se proteger de oscilações da moeda, certo? Será que a existência de come-cotas torna o fundo menos útil para você?

Quando se considera aspectos como perfil de investidor, objetivos e expectativa de rentabilidade, a forma de cobrança de Imposto de Renda pode ter um papel secundário na escolha. Afinal, o objetivo requer uma solução específica — que pode ser encontrada em um fundo com come-cotas.

Portanto, só é possível saber se vale a pena ou não investir se você considerar diversos aspectos relacionados à escolha. O retorno líquido não é o único critério a observar.

Ao mesmo tempo, é fundamental estar ciente da antecipação e de seus impactos. Sabendo como tudo funciona e qual será a influência específica em seus resultados, você não corre o risco de se frustrar ou se surpreender negativamente pelo imposto.

Conclusão

Como você viu, o sistema de come-cotas serve para antecipar o pagamento de IR de alguns fundos. Sabendo como ele funciona, é possível considerá-lo em sua análise de investimentos, o que favorece a tomada de decisão para compor sua carteira.

Não deixe outros investidores sem saber disso! Compartilhe o post nas suas redes sociais e mostre como funciona o sistema de antecipação de IR.

Relacionados

Candlestick: entenda como funciona esse gráfico

Existem diferentes maneiras de obter lucro na bolsa de valores, sendo que uma que vem se destacando é a especulação. No [...]

Guide Investimentos - 25/10/2021

Entre o urgente e o importante, o problema é a credibilidade

Os problemas podem ser divididos entre dois grupos: os importantes e os urgentes. Em um país como o nosso, há o [...]

Terraco Econômico - 25/10/2021

O homem do Tai Chi, um filme sobre transformação

Já pensou em um filme que fosse capaz de aglutinar o estilo de vida tipicamente chinês, focado em artes marciais milenares, [...]

Terraco Econômico - 22/10/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções