Arthur Lira defende prioridade na questão orçamentária e ‘vacinação para todos’

Tempo de leitura: 1 minuto

Em campanha no Rio em busca de apoio para sua candidatura à presidência da Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL) afirmou nesta quarta-feira (20) “que a prioridade 1, 2 e 3 é resolver a questão orçamentária”. Favorito do presidente Jair Bolsonaro, ele ainda pediu o fim da “politização” em torno da vacina. “Ela tem que ser para todos”, afirmou.

Arthur Lira cumpriu agenda na Assembleia Legislativa do Rio e depois se encontrou com o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), e parlamentares no Palácio Guanabara. Lira apareceu ao lado de diversos deputados federais do Rio, incluindo os da bancada do PSL, legenda que passou a apoiá-lo.

“Nós temos que tratar todos juntos, desta vez sem politização nenhuma, da questão da vacina. A vacina tem que ser para todos, para toda população, para todo o Estado. Não tem que ser para esse ou para aquele”, declarou.

Questionado sobre como poderia agir de forma mais efetiva caso assuma o comando da Câmara, Lira desconversou, mas mandou uma indireta ao atual presidente da Casa, Rodrigo Maia. “Essa distorção que nós temos no sistema brasileiro tende a se encerrar. O presidente da Câmara não é o salvador da pátria nem será. Ele não é o dono da casa nem o dono da Câmara. As coisas daqui pra frente serão decididas em conjunto.”

Além da vacina, Arthur Lira apontou quais devem ser as prioridades do Congresso. “Nossa prioridade 1, 2 e 3 é resolver essa questão orçamentária”, disse.

“Tenho previsão que algumas reformas andarão mais rápido: a reforma da PEC Emergencial no Senado e a Administrativa na Câmara. A reforma tributária, importante e necessária, terá uma atenção, claro. Mas ela deverá ser tratada com mais transparência. Ela vai ser tratada com um relatório pronto. Até lá, tudo é especulação.

Relacionados

Bolsonaro nomeia coronel André de Sousa Costa como novo chefe da Secom

O presidente da República, Jair Bolsonaro, nomeou nesta sexta-feira, 16, o coronel da Polícia Militar André de Sousa Costa como novo [...]

Estadão - 16/04/2021

Mandatos coletivos tentam virar frente e forçar lobby no TSE

Em 2020, três meses após a eleição do mandato "A Coletiva", do PT de Belo Horizonte, a titular da chapa renunciou. [...]

Estadão - 16/04/2021

Supremo começa a julgar decretos de Bolsonaro que ampliam acesso a armas

O Supremo Tribunal Federal (STF) começa a decidir nesta sexta-feira, 16, sobre a constitucionalidade dos quatro decretos editados em fevereiro pelo [...]

Estadão - 16/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções