O que é Efeito Manada? Entenda como ele pode afetar os seus investimentos

Tempo de leitura: 8 minutos

Nem sempre os comportamentos humanos são racionais. Muitas vezes, seguir o que outras pessoas estão fazendo é mais confortável e, em geral, passa a sensação de confiança. Entender essa questão é importante para compreender o que é efeito manada no mercado financeiro.

Afinal, tomar decisões baseadas nesse efeito é uma atitude que pode ser precipitada e inadequada, prejudicando a sua estratégia de investimento. Dessa maneira, o comportamento pode gerar perdas financeiras, exigindo atenção dos investidores.

O que veremos neste artigo?
O que é efeito manada?
Como funciona o efeito manada no mercado financeiro?
Quais são suas principais características?
Como o efeito manada pode afetar os investimentos?
Como evitar o efeito manada?

Neste artigo, você entenderá o que é efeito manada e como ele pode impactar os seus investimentos. Continue a leitura e confira!

O que é efeito manada?

O efeito manada recebe esse nome em decorrência do comportamento instintivo dos animais. Ao perceber a chegada de uma ameaça, o primeiro do grupo reage e foge. Com isso, os demais membros também fogem, mesmo que não saibam qual é o problema.

Essa atitude está relacionada ao instinto de sobrevivência. Isso porque, se ocorreu uma fuga entre os membros do grupo, certamente existe uma ameaça próxima que deve ser evitada.

Portanto, essa é a forma que os animais usam para reduzir as chances de morrer diante de um indício de perigo que se aproxima. Esse instinto também pode aparecer nos seres humanos em diversos momentos, inclusive em situações relacionadas ao mercado financeiro.

Como funciona o efeito manada no mercado financeiro?

Por suas características, o efeito manada pode influenciar o comportamento dos investidores diante da tomada de decisão. Essas atitudes são estudadas pela área de finanças comportamentais, que visa explicar como nossas emoções afetam as escolhas que tomamos em relação ao dinheiro.

Diante de crises econômicas iminentes, por exemplo, é comum que esse comportamento se manifeste. É o que se percebeu em 2020 com o início da pandemia, quando as bolsas de valores de todo o mundo despencaram.

Somente no Brasil foram 6 circuit breakers. O processo refletiu o grande medo que afetou os investidores no país. Dessa forma, a emoção é uma das grandes responsáveis por afetar as nossas decisões de investimento.

Com a crise, muitos investidores venderam suas ações ao perceber o perigo, seguindo o comportamento de outros. Diante da queda nos índices, mais pessoas sentiam medo e se desfaziam de seus papéis.

Além disso, cabe ressaltar que o efeito manada pode ter proporções menores. Ou seja, ele pode afetar apenas as ações de uma determinada empresa ou setor.

Mas o comportamento gerado pelo fenômeno é o mesmo: quando um grupo toma uma decisão, outros investidores seguem a tendência sem fazer uma análise racional. Porém, os impactos desse movimento podem ser prejudiciais e gerar grandes prejuízos.

Quais são suas principais características?

Existem algumas características próprias de quem segue a manada que merecem atenção. A primeira delas é a forte necessidade de fazer os mesmos investimentos que os demais investidores estão realizando no momento.

Com muitas pessoas seguindo o efeito manada na bolsa, a tendência é que determinada ação, por exemplo, se valorize ainda mais. No entanto, o mercado pode mudar de direção a qualquer momento e trazer perdas financeiras.

Outro aspecto do efeito manda é a sensação de que determinado ativo deve ser um bom investimento. Afinal, se muitas pessoas estão investindo nele, a tendência é acreditar que ele vale a pena.

Se muitas pessoas estão entrando no mercado de ações, por exemplo, os investidores influenciáveis decidem iniciar os investimentos também. O medo de ter perdas financeiras enquanto outras pessoas estão tendo lucro é outro ponto importante.

Nesse caso, ao seguir a manada, o investidor acredita que, pelo menos, não perderá sozinho. A constatação de que não será o único a sofrer prejuízos, então, facilitaria as decisões de acompanhar o mercado.

Como o efeito manada pode afetar os investimentos?

Agora que você sabe o que é efeito manada e como ele funciona, é possível compreender como ele afeta os investimentos. Na prática, a tendência pode resultar em consequências graves para quem investe na bolsa de valores.

Um dos problemas mais comuns é que o efeito manada pode fazer com que o preço de uma ação se distancie do valor real. Se muitas pessoas começam a investir em um determinado ativo, a tendência é que muitos investidores se interessem por ele.

Como consequência, o preço desses papéis tende a ficar acima do que eles realmente valem. No curto prazo, isso pode representar uma valorização. Entretanto, os preços tendem a se ajustar com o passar do tempo. Quem esperava obter bons lucros pode, então, sofrer grandes prejuízos.

Uma situação semelhante pode ocorrer em períodos de baixa. Nesse caso, a tendência é que os investidores percebam a queda nos preços e vendam seus ativos para evitar prejuízos maiores.

Assim, os preços tendem a ficar ainda mais baixos do que o normal. Isso aumenta consideravelmente os riscos de perda de dinheiro com as negociações. Cabe ressaltar que uma das consequências desse processo é o aparecimento de bolhas especulativas.

Efeito manada e as bolhas financeiras

Quando o bom desempenho de uma ação faz com que ela se valorize, podemos ter o início de uma bolha financeira. O efeito manada faz com que muitos acreditem que essa é uma oportunidade de investimento interessante, mesmo que não seja.

Com isso, a bolha é inflada até que o preço da ação atinja um valor insustentável. Os investidores percebem, então, que o ativo não está sendo negociado pelo preço que ele realmente vale. Também é possível que a situação aconteça com diversas ações ao mesmo tempo.

Consequentemente, ocorre o colapso da bolha e os investidores passam a se desfazer dos seus papéis. Como resultado, o preço dos ativos cai — permitindo observar, novamente, como o efeito manada atua.

Quem entrou na bolha financeira pode amargar prejuízos, como já foi observado diversas vezes no mercado financeiro. A bolha da internet e a crise dos subprimes, que ocorreram em 2000 e em 2008 nos Estados Unidos, respectivamente, são alguns exemplos.

Como evitar o efeito manada?

Depois de conhecer as consequências do efeito manada, é importante estudar o mercado para tomar melhores decisões. O objetivo é não seguir comportamentos de massa por falta de conhecimento e evitar escolhas que prejudiquem os seus investimentos.

Confira as principais dicas para evitar o efeito manada ao investir:

Avalie as informações do mercado

Como conhecimento é um ponto essencial no momento de fazer os seus aportes, é válido se manter informado sobre as oportunidades do mercado. Para isso, busque acompanhar as notícias nacionais e internacionais que podem impactar a economia.

Não deixe de consultar fontes confiáveis e desenvolva a sua própria opinião sobre as informações levantadas. Essa atitude é fundamental para desenvolver senso crítico e tomar decisões de investimento mais acertadas.

Foque nos seus objetivos

Uma boa estratégia de investimentos é baseada em objetivos específicos para o dinheiro aportado. Ao manter o foco nos seus planos, é mais fácil evitar a manada. Além disso, com uma visão de longo prazo, você perceberá que não é necessário movimentar o capital a cada alteração do mercado.

Afinal, se os seus investimentos estão adequados aos seus objetivos, dificilmente você precisará vender suas ações diante de uma queda, por exemplo. Mesmo que desvalorizações pontuais aconteçam, elas são, normalmente, compensadas pelo crescimento ao longo do tempo.

Considere um cenário de baixa na taxa Selic. Nesse caso, os cortes nos juros afetam a renda fixa, o que faz com que ela seja considerada menos atrativa para alguns investidores. Contudo, isso pode não ser verdade para todos os casos.

Investidores de perfil conservador ou com planos de curto prazo, por exemplo, podem se beneficiar de manter suas aplicações na renda fixa. Logo, as decisões de investimento devem ser feitas de acordo com os seus critérios pessoais.

Tenha controle emocional

Como você viu, o efeito manada está relacionado com as nossas emoções. Portanto, é comum ter medo de perder alguma oportunidade, por exemplo. Mas se você tomar alguma decisão com base apenas nesse sentimento, ela pode ser precipitada.

Uma pessoa com perfil arrojado e vários investimentos na bolsa de valores, por exemplo, deve ter frieza ao analisar as oscilações de preços dos ativos. Ao controlar suas emoções, é possível entender o que é realmente relevante para as suas necessidades.

Siga o caminho oposto ao da manada

Fazer o caminho oposto ao da manada pode ser vantajoso em diversas situações. A queda no preço das ações, por exemplo, pode representar uma oportunidade para realizar novos aportes. Ou seja, há a oportunidade investir mais enquanto a manada se desfaz dos ativos por desespero.

Para isso, é necessário ter uma visão de futuro. Tenha em mente que toda crise tem um fim e que é essencial manter a disciplina e continuar investindo. Se observar uma boa oportunidade, aproveite para aumentar seus aportes.

Situações atípicas podem fazer com que os papéis de boas empresas sejam negociados a preços baixos na bolsa. Nesse cenário, pagar menos por eles pode ser interessante para conseguir um bom preço médio na carteira, ampliando seu patrimônio.

Para garantir bons ativos na carteira nessa situação, é importante fazer uma análise dos fundamentos das empresas. Não deixe de avaliar alguns fatores que demonstrem se o preço das ações está realmente descontado e como está a saúde financeira do negócio.

Agora você sabe o que é efeito manada e como ele pode ser prejudicial para os seus investimentos. Antes de investir, lembre-se de sempre buscar fazer escolhas com base em análises do mercado e dos fundamentos das empresas na bolsa de valores. Ainda, respeite o seu perfil e objetivos financeiros.

Gostou do conteúdo e quer se manter atualizado sobre o mercado financeiro? Então acompanhe nosso canal no YouTube!

Relacionados

Investimento em ações para iniciantes: 6 dicas para sair do zero e começar agora

Investir em renda variável pode ser uma oportunidade para rentabilizar a carteira e ter possibilidades de ganhos maiores, principalmente no longo [...]

Guide Investimentos - 19/10/2021

4 estratégias de investimento para quem está começando na renda variável

Quem está começando a investir na renda variável precisa adotar estratégias de investimento. Isso é importante para reduzir riscos e ter [...]

Guide Investimentos - 14/10/2021

A porta está trancada. Nesse caso, crie a sua própria porta

"A porta está trancada. Nesse caso, crie a sua própria porta." Essa é uma passagem icônica do filme O Labirinto do [...]

Adriana Nogueira - 11/10/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções