Cotações por TradingView

Day trade: saiba o que é e como funciona

Tempo de leitura: 5 minutos

No Brasil, a busca por retornos mais atrativos tem feito muitos investidores migrarem da renda fixa para o mercado de renda variável. No período de março a julho de 2020, a bolsa de valores brasileira (B3) recebeu cerca de 900 mil novos CPFs, o que amortizou a saída dos 45 bilhões de capital estrangeiro durante a pandemia, assim como contribuiu para retomada do índice Bovespa ao patamar de 100 mil pontos.

Dentre as diversas formas de aproveitar esse mercado, as operações de day trade estão entre as mais cotadas. Para conhecer melhor essa estratégia em renda variável que atrai muitos investidores brasileiros, continue a leitura e entenda como ela pode melhorar a rentabilidade de seus investimentos.

O que significa day trade?

Trata-se de uma modalidade de investimento em que o operador inicia e encerra suas posições em renda variável durante o mesmo dia. O objetivo nesse caso é capturar as oscilações de curto prazo do mercado e conseguir lucrar com elas. O day trade é uma estratégia com maior exposição ao risco e por isso exige mais conhecimento, técnica e experiência, sendo assim, ela é destinada, em especial, aos investidores de perfil arrojado, com maior tolerância ao risco.

Quanto preciso para começar operar em day trade?

Contrário ao que muitos pensam, não é necessário ter muito dinheiro para começar a operar em day trade. Com R$ 100,00, por exemplo, é possível montar posições, contudo não é recomendável. Isso porque em todas as operações existem custos operacionais, tais como taxa de custódia, corretagem, imposto de renda, entre outros, que devem ser considerados e que também influenciam no resultado final.

Tão importante quanto definir o valor para começar a operar em day trade é estar ciente da importância de ter conhecimento no assunto. Para evitar danos desnecessários, é possível iniciar com R$ 1.000,00 ao mês e aumentar essa posição gradativamente. Outra alternativa é utilizar o simulador disponibilizado pelas corretoras de investimentos, pois trata-se de uma ferramenta que permite ao investidor treinar e aperfeiçoar suas habilidades, em um ambiente semelhante a uma plataforma profissional e em tempo real do mercado.

Margem de garantia e corretoras: o que preciso saber antes de operar em day trade?

A margem de garantia refere-se ao valor que o investidor deve possuir sob custódia, junto à corretora em que executará suas operações no mercado futuro e de alavancagem. A quantia é utilizada para assegurar que a instituição não sofrerá nenhum prejuízo caso o investidor não tenha sucesso em suas movimentações. Em geral, títulos públicos, CDB – Certificado de Depósito Bancário e ações negociadas na B3 são ativos aceitos como garantia.

No day trade, a margem de garantia se aplica quando o investidor decide operar alavancado. Neste caso, ele solicitará a corretora um “empréstimo” a fim de aumentar o seu potencial de ganho financeiro, e por isso precisará apresentar uma garantia de que será capaz de honrar seus compromissos. É válido ressaltar que os valores solicitados como margem de garantia mudam de corretora para corretora e podem variar também conforme o tipo de operação, contrato e prazo.

Análise técnica: como funciona no day trade?

Análise técnica nada mais é que um tipo de análise de mercado que tem como objetivo identificar oportunidades de compra e venda de ativos, baseado nos movimentos históricos dos preços. Diferente da análise fundamentalista, informações como balanço patrimonial, fluxo de caixa e conjuntura econômica não são consideradas neste tipo de análise. Como o day trade é uma operação que ocorre no curto prazo, é recomendável que o investidor use da análise técnica para identificar e capturar tendências de mercado, o que certamente influenciará no êxito de suas operações.

Como declarar day trade no imposto de renda?

No day trade também é necessário prestar contas com o governo por meio da declaração de imposto de renda. Nos meses em que fizer este tipo de operação, o investidor precisará recolher o imposto através de uma DARF – Documento de Arrecadação de Receitas Federais e pagá-la até o último dia útil do mês subsequente à movimentação. Por isso, ter um controle das operações realizadas, seja por planilha ou pela calculadora de IR disponibilizada por muitas corretoras, é fundamental.

No mercado de ações há uma regra que permite o benefício fiscal ao investidor cujas movimentações tiverem lucro mensal inferior a R$ 20 mil, contudo ela não se aplica ao day trade. Nesse tipo de operação, o investidor será tributado em 20% sobre o rendimento, independente do volume negociado. Além disso, a Receita Federal permite que as perdas sejam compensadas no cálculo do imposto, desde que também sejam oriundas do day trade. Sendo assim, os prejuízos também precisam ser declarados.

Qual a diferença entre day trade e swing trade?

Enquanto no day trade as posições têm início e fim no mesmo dia, no Swing Trade o investidor tem a liberdade de manter-se por dias, semanas ou até meses com a mesma posição. Essa flexibilidade em relação ao tempo permite que o investidor aguarde a formação de uma tendência e com isso decida o momento mais oportuno para encerrar sua operação.  Sendo, portanto, essa a principal diferença entre esses dois tipos de estratégia em renda variável.

Conclusão

Ao que tudo indica, o “novo normal” do investidor brasileiro é estar cada vez mais presente no mercado de renda variável. Com a taxa de juros em seu menor patamar histórico, 2% ao ano, os investimentos mais tradicionais, tais como a poupança, fundos DI e títulos de renda fixa perderam sua atratividade, o que mostra que o investidor está disposto a correr mais riscos em prol de melhores retornos.Operações de day trade podem apresentar um potencial elevado de ganhos rápidos, porém seus riscos nunca devem ser desconsiderados. Neste sentido, é recomendável que os investidores ampliem sempre o nível de conhecimento e técnicas aplicadas para limitar as perdas. Continue seus estudos e compreenda qual é o seu perfil investidor. Só assim, você saberá identificar qual estratégia melhor atende seu planejamento financeiro, o que certamente aumentará o nível de assertividade de suas operações e lhe trará mais lucros.

Relacionados

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021

Quanto vale cada ponto no mini dólar? Tire suas dúvidas!

Os minicontratos de dólar estão entre as alternativas mais procuradas por especuladores que buscam ganhos no curto ou curtíssimo prazo. Porém, [...]

Guide Investimentos - 25/11/2021

Fundo long only: quais as diferenças para outros fundos de ações?

O mercado de renda variável é repleto de alternativas. Por exemplo, você pode investir em ações, FIIs (fundos imobiliários), ETFs (fundos [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções