CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Crenças limitantes sobre dinheiro: quais são e como evitá-las?

19 de julho de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 11 min
Compartilhar
imagem ilustrativa
Tempo de leitura: 11 min

A forma como você se enxerga e vê as próprias habilidades é determinante em diversos aspectos da vida. Por isso, ter uma mentalidade inadequada pode fazer com que você desperdice boas oportunidades — e isso também acontece na vida financeira.

Nesse cenário, as crenças limitantes sobre dinheiro podem ser especialmente prejudiciais. Como elas afetam a sua capacidade de agir e de conquistar resultados, é essencial estar atento a essas afirmações e saber como revertê-las.

Neste artigo, você entenderá quais são as principais crenças limitantes sobre dinheiro e o que é preciso fazer para evitá-las no seu dia a dia.

Boa leitura!

O que são crenças limitantes?

Na psicologia, as crenças limitantes ou limitadoras são pensamentos, convicções ou afirmações que podem impedi-lo de alcançar todo o seu potencial. Logo, elas contribuem para criar um estado mental que pode impedi-lo de agir ou direcioná-lo incorretamente em suas ações.

É o que acontece quando você decide não pedir uma promoção no trabalho porque acredita que não terá sucesso, por exemplo. Também é uma crença limitante achar que você não merece alcançar determinado resultado ou que nunca tem sorte.

Devido à maneira como as crenças limitantes funcionam, elas podem estar presentes em diversos aspectos da vida, incluindo o âmbito de relacionamentos, trabalho e dinheiro. Nesse último caso, há as chamadas crenças limitantes financeiras.

Elas estão relacionadas à sua visão e ao seu comportamento sobre o papel do dinheiro no seu dia a dia.

Quais são as principais crenças limitantes sobre dinheiro?

Após você descobrir o que são as crenças limitantes, é importante entender quais são os tipos mais comuns quando se fala no aspecto financeiro. Assim, será mais fácil identificar as situações no seu cotidiano — o que o ajudará a lidar com essas situações.

Na sequência, descubra quais são as crenças limitantes mais comuns a respeito do dinheiro!

“O dinheiro é uma fonte de problemas”

Uma das crenças limitantes mais difundidas, ainda que inconscientemente, é a que diz que o dinheiro é a origem de todo o mal que existe. Essa ideia indica que os principais problemas estão relacionados ao dinheiro e que aumentar o patrimônio significa encarar mais dificuldades.

Essa crença dá origem a outras derivadas, como “Quem tem muito dinheiro não é feliz” ou “Todo rico é desonesto”.

Na prática, ela é uma crença limitante porque o dinheiro só terá o impacto que você der a ele. Se você transformar sua vida em uma busca incessante por mais recursos financeiros, é provável que o tema traga problemas para os seus relacionamentos e para a sua vida.

Porém, se você usar seu dinheiro de forma inteligente e estratégica, é possível aproveitá-lo para realizar sonhos, ter mais conforto e conquistar mais tranquilidade em seu dia a dia, por exemplo.

“Planejar as finanças é muito difícil ou gasta muito tempo”

Quando o assunto é dinheiro, muitas pessoas logo imaginam uma infinidade de números, equações e outros elementos para fazer o gerenciamento dos recursos. Como resultado, é relativamente comum a ideia de que planejar as finanças é difícil ou demorado.

É isso que faz com que muitas pessoas digam frases como: “mexer com dinheiro não é para mim”. Como consequência, os indivíduos com essa crença limitante acabam ignorando a necessidade de usar o dinheiro de modo estratégico.

No geral, essa afirmação não corresponde à realidade. Afinal, com a tecnologia até o planejamento financeiro ficou mais fácil. Por exemplo, o uso de aplicativos e outras ferramentas semelhantes simplifica o controle do seu dinheiro, o que pode ser feito até de forma automática.

Ou seja, nunca foi tão fácil cuidar do próprio dinheiro como agora, principalmente devido às diferentes ferramentas que estão disponíveis.

“Trabalhar muito é o único jeito de acumular patrimônio”

Na sociedade moderna, o conceito de dinheiro ainda está muito atrelado ao trabalho. Então existe a ideia de que para acumular um grande patrimônio é preciso trabalhar muito ou com grande intensidade.

Por um lado, essa pode ser uma verdade, já que fazer mais horas extras ou ter um segundo emprego pode garantir uma renda maior. Porém, nem sempre essa é uma rotina sustentável — e também não é a única possibilidade.

Em vez disso, há como fazer o seu dinheiro trabalhar para você por meio dos investimentos. Com uma estratégia completa no mercado financeiro, fica mais fácil acumular patrimônio para atingir os diferentes objetivos financeiros.

“Dinheiro foi feito para gastar”

Dependendo do seu perfil de comportamento e de consumo, o imediatismo pode se disfarçar de crenças limitantes. É o que acontece quando você acredita que não vale a pena poupar dinheiro e que o melhor é gastá-lo para atender às suas necessidades e vontades atuais.

Embora a intenção não seja encarar privações ou viver de modo desconfortável, é essencial ter visão de futuro para o seu dinheiro. Desse modo, é possível garantir que os seus recursos sejam bem aproveitados e que o ajudem a construir as bases para desenvolver o seu futuro.

“É impossível mudar minha situação financeira”

Entre as crenças limitantes, é frequente encontrar pessoas que acreditam que a situação financeira atual define como será a condição delas no longo prazo. É o caso de quem tem um salário baixo e acredita que viverá com dificuldades para pagar todas as despesas, por exemplo.

Esse quadro também se repete com quem tem dívidas e acredita que nunca se livrará delas. Assim, em vez de se preparar para alcançar novos patamares, a pessoa se atém ao que ela considera ser sua única alternativa.

No entanto, existem oportunidades para transformar diversas realidades financeiras com decisões estratégicas. Quem tem dívidas, por exemplo, pode renegociá-las e fazer cortes no orçamento para realizar o pagamento.

Já quem ganha um salário menor pode rever o orçamento e, dentro do que for viável, começar a investir mesmo com pouco dinheiro. Portanto, ainda que a condição atual não seja favorável, isso não é sinônimo de que uma mudança positiva não pode ocorrer.

“Investir é só para quem já é rico ou especialista”

A vida financeira também está relacionada à realização de investimentos. Porém, um dos exemplos de crenças limitantes envolve exatamente esse tema.

Na prática, muitas pessoas acreditam que essa possibilidade só está disponível para quem já tem muito dinheiro. É a ideia de que apenas milionários ou bilionários conseguem investir e fazer o dinheiro render de maneira consistente. 

Também há a concepção de que apenas profissionais de economia ou do mercado financeiro conseguem participar do mercado financeiro. Nesse caso, construir um patrimônio dependeria de mera sorte, de salários muitos elevados ou até de uma mudança de carreira.

No entanto, a realidade é muito diferente. Com a chegada do pregão eletrônico e das plataformas de investimentos, qualquer pessoa se tornou apta a investir com praticidade.

Além disso, existem muitos ativos, aplicações e veículos financeiros acessíveis, além de conhecimento disponível online. Isso significa que você pode aprender e começar a investir para obter os primeiros resultados desde já.

“É muito tarde para começar a investir”

Apenas acreditar que é possível investir mesmo sem ser especialista ou milionário pode não ser suficiente. Afinal, existem mitos relacionados à idade para ideal realizar investimentos.

Muitos acreditam que “já perdeu tempo demais e, por isso, não vale a pena começar a investir”. Também é comum pensar que não há tempo suficiente para atingir determinados objetivos, como a aposentadoria.

Contudo, não existe um momento certo para começar a investir além do agora. Ao começar desde já, você aproveitará todo o tempo futuro, em vez de desperdiçá-lo com a ideia de que não é interessante investir os seus recursos.

Como existem diversas estratégias e oportunidades disponíveis no mercado, é possível traçar um plano que faça sentido para o tempo que você tem disponível para manter o dinheiro investido.

“O dinheiro não compra a felicidade”

Além das crenças já citadas, é importante considerar o clichê que afirma que o dinheiro não é capaz de comprar a felicidade. Em uma análise inicial, a afirmação é verdadeira. Afinal, nem todas as pessoas ricas são felizes — e o contrário também é válido.

No entanto, essa frase muitas vezes é usada com o intuito de menosprezar o impacto do dinheiro na vida das pessoas. Como consequência, usá-la como o seu lema sem uma reflexão pode fazer com que você não queira buscar resultados melhores. Logo, ela se transforma em uma crença limitante.

Em vez disso, vale lembrar que o dinheiro pode trazer mais segurança e tranquilidade, oferecer novas experiências e aumentar sua qualidade de vida. Então dar o peso certo a esse assunto pode ajudá-lo a se planejar e agir melhor.

Quais os impactos dessas crenças nas suas finanças e investimentos?

Além de conhecer quais são as crenças limitantes relacionadas ao dinheiro, é necessário entender quais impactos elas podem ter na sua vida. Um dos principais efeitos é que elas comprometem a sua relação com o dinheiro em diversos sentidos, como no planejamento financeiro.

Você pode se sentir menos motivado a organizar o orçamento e a poupar dinheiro se achar que esse cuidado não fará diferença, por exemplo.

Ainda, acreditar que investir não é um hábito que você possa ter faz com que você adie ou, até mesmo, nunca chegue ao mercado financeiro. Como consequência, será mais difícil conquistar seus objetivos.

Diante do sentimento de frustração financeira, pode ser que você desenvolva hábitos que não são positivos, como o endividamento. Isso causa efeitos que podem ser permanentes nas suas finanças, atrapalhando a conquista de uma condição melhor para a sua vida.

Ainda, a falta de cuidado estratégico com o dinheiro pode fazer com que você tenha menos proteção e tranquilidade nas finanças. Como consequência, há um subaproveitamento do seu potencial, já que você não faz seu dinheiro render e não o utiliza da melhor maneira que poderia.

Como evitar essas crenças limitantes?

Como você viu, as crenças limitantes sobre dinheiro podem prejudicar seus resultados financeiros de diversas formas. Por isso, é indispensável saber como evitar ou como reverter esses pensamentos.

O primeiro passo consiste em reconhecer que existem crenças limitantes que afetam seu comportamento e que é preciso mudar essa mentalidade. A partir disso, você pode implementar hábitos e ações que o ajudem a reverter a situação.

A seguir, confira dicas para evitar as crenças limitantes sobre dinheiro!

Desenvolva sua educação financeira

Uma das soluções mais efetivas para lidar com pensamentos limitantes sobre o dinheiro é o conhecimento financeiro. Quanto mais preparado você estiver para lidar com o seu dinheiro, menores serão os efeitos que essas crenças terão em seu cotidiano.

Portanto, vale a pena desenvolver sua educação financeira, indo desde o planejamento até a realização de investimentos. Assim, você descobrirá como desenvolver hábitos e tomar decisões que o ajudem a usar seu dinheiro de modo mais efetivo.

Nesse sentido, você pode aproveitar materiais diversos, desde livros até vídeos e cursos sobre o tema. Dessa forma, há como dar um passo importante para reprogramar as crenças limitantes.

Crie um orçamento e comece a acompanhá-lo

Assim que você começar a construir os pilares do seu aprendizado, é possível usar seus novos conhecimentos ao criar e controlar seu orçamento. A ideia é descobrir o quanto você ganha, o quanto gasta e como as despesas são distribuídas.

Depois, é preciso encontrar formas de economizar e repensar a distribuição do seu dinheiro, permitindo que ele seja usado de modo mais estratégico.

Ainda que no começo surjam dúvidas sobre como planejar e controlar o dinheiro, esse hábito é positivo para sua vida financeira. Com a evolução do seu orçamento, há como investir e aproveitar progressivamente as oportunidades do mercado financeiro.

Substitua as crenças limitantes por pensamentos empoderadores

Como você viu, as crenças limitantes se baseiam em afirmações entendidas como verdadeiras — ainda que inconscientemente. Para revertê-las, é essencial buscar pensamentos empoderadores.

Em vez de concluir que você não sabe lidar com as próprias finanças, por exemplo, vale pensar na sua capacidade de aprender. Do mesmo modo, antes de se considerar avesso ao risco do mercado financeiro, o ideal é fazer um teste de suitability para realmente conhecer seu perfil de investidor.

Busque soluções para contrapor toda crença limitante que você possui, ajustando o seu comportamento. Note que não se trata apenas de pensar positivo e, sim, de ter mais confiança na sua capacidade, no seu conhecimento e no seu desenvolvimento ao longo do tempo.

Esse exercício deve ser constante, exigindo autoconhecimento e percepção sobre como você enxerga sua relação com as finanças. Assim, há como transformar a sua mentalidade e reprogramar a maneira como as crenças limitantes o impactam.

Neste artigo, você descobriu o que são as crenças limitantes sobre dinheiro e como elas podem impactar os seus resultados. Ao adotar as dicas para evitá-las ou reprogramá-las, você pode desenvolver uma relação mais positiva com o dinheiro, usando-o a favor da realização dos seus objetivos.

Você tem alguma crença limitante sobre dinheiro? Para se tornar cada vez mais preparado ao investir, assine O Guia Financeiro!

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também