Cotações por TradingView

Confira o que são os fundos de debêntures incentivadas e se ainda vale a pena investir

Tempo de leitura: 4 minutos

A renda fixa, mesmo tendo ativos considerados mais seguros, é possível que, em situações adversas de mercado, também passe por situações que afetem sua rentabilidade, como aconteceu com os fundos de debêntures incentivadas.

Para conhecer melhor sobre esta aplicação e como ela se comportam no mercado, continue a leitura deste guia financeiro e entenda como esta modalidade pode contribuir com sua carteira de investimentos.

O que veremos a seguir?
O que são os fundos de debêntures incentivadas?
O que houve com os fundos de debêntures incentivadas em 2020?
Quais são as vantagens e desvantagens em investir nos fundos de debêntures incentivadas?
Como investir nos fundos de debêntures incentivadas?
Como declarar os fundos de debêntures incentivadas no Imposto de Renda?
Conclusão

O que são os fundos de debêntures incentivadas?

Os fundos de debêntures incentivadas qualificam-se enquanto fundos de investimento da renda fixa cuja estratégia consiste em aplicar seu patrimônio líquido majoritariamente em debêntures incentivadas.

Em geral, as debêntures incentivadas têm como objetivo arrecadar recursos para projetos no setor de infraestrutura. Aos investidores pessoa física é concedido o benefício fiscal como forma de aumentar a sua atratividade. Logo, como o fundo aplica neste tipo de ativo, seus cotistas são contemplados com as mesmas características.

O que houve com os fundos de debêntures incentivadas em 2020?

Como o nome já diz, este tipo de fundo investe em debêntures incentivadas que, por sua vez, são negociadas a uma taxa de juros prefixada acrescido do índice de inflação (IPCA). Isso faz com que esses títulos sejam mais sensíveis às variações da taxa de juros.

Sendo assim, quando os juros sobem, esses títulos valorizam, e quando os juros caem, eles acompanham o mesmo movimento. Como os valores são atualizados diariamente, ou seja, marcados a mercado, eles refletem exatamente o humor dos investidores.

Em momentos em que os juros estão mais baixos, como o que vivenciamos em 2020, é normal que se observe um fluxo maior de resgates desses papéis, o que impacta diretamente na rentabilidade tanto das debêntures, quanto nos fundos de debêntures incentivadas.

Quais são as vantagens e desvantagens em investir nos fundos de debêntures incentivadas?

Ao investir em um fundo de debêntures incentivadas, o investidor conta com uma carteira diversificada e com rendimento livre de imposto de renda. Este tipo de fundo também não fica sujeito ao recolhimento antecipado de imposto (come-cotas), que ocorre semestralmente.

Outra grande vantagem está no prazo de resgate. Se por um lado o investidor pode ter que aguardar anos para vender uma debênture, neste tipo de fundo ele terá que esperar apenas alguns dias para reaver seu dinheiro.

Mas atenção! Embora este seja um fundo de renda fixa, sua carteira é composta de títulos privados, logo há um risco de crédito envolvido nestas operações.

Nesta modalidade, o investidor não conta com a cobertura de até R$ 250 mil do Fundo Garantidor de Crédito. Por este motivo, ao decidir investir em um fundo de debêntures incentivadas, é fundamental procurar conhecer como o time de gestão atua e como fazem o controle de risco de suas operações.

Como investir nos fundos de debêntures incentivadas?

Investir nos fundos de debêntures incentivadas está cada vez mais fácil, isso porque eles estão disponíveis em várias plataformas, o que permite com que os investidores tenham acesso a este tipo de ativo com tranquilidade. Neste caso, é preciso escolher a corretora de investimentos que melhor atenda suas necessidades, fazer seu cadastro e procurar a lista de fundos de investimentos disponíveis.

Como declarar os fundos de debêntures incentivadas no Imposto de Renda?

Embora os fundos de debêntures incentivadas sejam isentos de imposto de renda não significa que seus rendimentos não devam ser declarados. Na verdade, eles devem ser inseridos na seção de “Bens e Direitos”, na ficha de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, código 26, da declaração de IR.

Neste caso, o investidor receberá um informe de rendimentos emitido pela plataforma de investimentos em que possui sua aplicação com todas as informações pertinentes ao fundo, bem como em relação à sua posição neste ativo.

Conclusão

Os fundos de debêntures incentivadas destacam-se por terem laços no segmento da infraestrutura e pelo benefício fiscal. À disposição do investidor pessoa física, esta modalidade atrai a atenção e é uma escolha viável para diversificação da carteira. Entretanto, mesmo que na renda fixa, este ativo está sujeita às oscilações do mercado.

Conte com uma estratégia diversificada e alinhada ao seu perfil investidor para mitigar riscos e aumentar o potencial de retorno das suas aplicações. Quer conhecer mais sobre outros fundos de investimento na renda fixa? Então confira este material completo que preparamos para você.

Relacionados

CDB e CDI: Qual a diferença entre eles?

CDB e CDI são duas siglas do mercado financeiro que tratam de certificados, mas elas são bem diferentes entre si. O Certificado [...]

Syntax Finance - 25/01/2022

Como poupar e investir para preservar e impulsionar seu patrimônio?

Poupar dinheiro é um dos passos mais importantes para aqueles que buscam preservar e ampliar seu patrimônio, não é mesmo? No [...]

Guide Investimentos - 24/01/2022

Empresas multinacionais: o que são e como investir nessas companhias?

Investir em grandes companhias e ser incluído em possíveis repasses de lucros é o objetivo de muitos investidores. Mas você sabe [...]

Guide Investimentos - 21/01/2022
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções