CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Como proteger a carteira de investimentos com opções? Descubra!

23 de junho de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 9 min
Compartilhar
Imagem ilustrativa
Tempo de leitura: 9 min

Qualquer tipo de investimento envolve riscos a serem ponderados pelo investidor — seja ele de renda fixa ou variável. Assim, você deverá compor o seu portfólio com as alternativas que sejam mais apropriadas ao nível de risco que aceita correr.

Caso você queira montar uma carteira de investimentos mais arriscada — com ações, por exemplo —, no entanto, poderá contar com estratégias de proteção com o uso de opções. Mas, para adotar essa estratégia, é necessário aprender melhor o que são esses derivativos financeiros e o seu funcionamento.

Quer saber mais? Confira neste conteúdo como proteger a carteira de investimentos com opções.

Não deixe de acompanhar!

O que é o mercado de opções e quando ele surgiu?

Primeiramente, é preciso saber o que é o mercado de opções. Trata-se de um dos ambientes de negociação da bolsa de valores, por meio do qual compradores e vendedores negociam contratos de opções.

Nesses contratos, são negociados o direito comprar ou vender um ativo financeiro em data futura, por um preço fechado. Ademais, a existência do mercado de opções precede à própria bolsa de valores e o conhecido mercado à vista.

Um dos primeiros registros acerca da negociação de opções remonta à Grécia antiga, no tempo do filósofo, matemático e astrônomo Tales de Mileto (entre 558 a.C — 623 a.C). Embora fosse um matemático excepcional, Tales era censurado por seus contemporâneos em razão de sua pobreza.

Para contornar esse cenário, ele decidiu fazer uma negociação arriscada, mas que se mostrou bastante vantajosa. Por seus conhecimentos sobre a natureza, Tales percebeu com antecedência que, em determinado período, a safra de azeitonas seria bastante volumosa.

Com pouco dinheiro e antes da safra ficar pronta, ele reservou todas as prensas de azeitonas da cidade de Mileto para o período de colheita. Quando as azeitonas amadureceram, os fazendeiros e comerciantes precisaram sublocar as prensas de Tales para não perderem a sua produção.

Sendo o único a deter os direitos sobre o uso das prensas no período, Tales pôde estipular o preço de locação conforme seus interesses. Isso lhe garantiu o dinheiro necessário para sair da pobreza, provando que é possível enriquecer mesmo com pouco dinheiro, a partir do conhecimento.

O que são as opções?

Conhecendo o mercado de opções, é mais fácil entender por que a opção negocia direito de comprar ou vender um ativo em uma data posterior a um preço fechado.

Considerando que os preços das opções estão atrelados ao de um ativo principal — a exemplo de ações, índices, moedas —, elas são conhecidas como derivativos financeiros. Para melhor compreender o universo das opções, vale a pena conferir os principais termos utilizados nessas negociações.

São eles:

  • call: refere-se à opção de compra;
  • put: diz respeito à opção de venda;
  • prêmio: é o preço de negociação da opção;
  • strike: é o preço que ativo-objeto será negociado no futuro;
  • tomador: é o comprador da opção;
  • lançador: é o vendedor da opção;
  • data de vencimento: corresponde à data final do contrato de opções.

Como as opções funcionam?

Depois de aprender mais sobre o mercado de opções e as opções em si, ainda é necessário entender o funcionamento desse derivativo.

Para garantir o direito de comprar ou vender um ativo em data futura, o tomador paga ao lançador o prêmio — uma espécie de sinal ou garantia do negócio. Nessa oportunidade, ele também identifica o preço do strike e a data de vencimento do contrato.

No prazo combinado, o tomador terá a opção de exercer o seu direito de compra ou venda. Caso ele opte pelo exercício da opção, o lançador será obrigado a cumprir o contrato no preço do strike negociado.

Por outro lado, na hipótese de o tomador não exercer o seu direito, a opção deixa de existir — liberando o lançador da obrigação negociada. Nesse caso, em termos de mercado, fala-se que a opção vira pó. Ademais, o montante pago a título de prêmio não é devolvido.

Após uma mudança nas regras da B3 (a bolsa de valores brasileira), vale destacar que as opções são exercidas automaticamente se forem benéficas ao tomador. Logo, ainda que ele esqueça de exercê-las na data de vencimento do contrato, existirá a possibilidade de exercício automático.

Exemplo prático

Para visualizar melhor o funcionamento das opções, imagine que você esteja interessado em adquirir um lote de ações de uma companhia com possível valorização no curto prazo. O preço atual dessas ações é de R$ 10,00 cada, o que totaliza um investimento de R$ 1.000,00 — que você pretende fazer no próximo mês.

No entanto, você acredita que esses ativos vão se valorizar até lá. Então, em vez de comprá-los diretamente após esse período, você adquire hoje o direito de compra (call) pelos mesmos R$ 10,00 (strike), mas para o mês seguinte. Para tanto, é preciso pagar o prêmio de R$ 0,70 por opção, gastando R$ 70,00 no lote.

Agora, suponha que, na data de vencimento, essas ações estejam valendo R$ 15. Logo, exercendo o seu direito de comprá-las a R$ 10, você terá um lucro imediato de R$ 500 — considerando a diferença entre o preço de aquisição e a cotação atual (1.000 – 1.500 = 500).

Abatendo-se a quantia dada como prêmio, o lucro ficará em R$ 430 (sem contar os custos da operação e os impostos aplicáveis). Por outro lado, se as ações não se valorizarem, basta não exercer as opções, perdendo apenas os R$ 70,00 referente ao prêmio dado.

Nesse caso, você poderia adquirir as ações no mercado à vista, já que elas poderiam estar no mesmo patamar — ou abaixo — de quando você decidiu por comprá-las. Note, portanto, que o uso das opções pode ajudar a diminuir a exposição do seu capital às oscilações do mercado.

Como elas podem ajudar a proteger a carteira de investimentos?

Como você viu, devido ao funcionamento das opções, elas podem ser utilizadas para diferentes finalidades — especialmente em operações de especulação. Porém, elas também são bastante usadas na proteção de uma carteira de investimentos — ou hedge.

Essa é uma estratégia na qual o interessado trava o preço de um ativo, visando reduzir os impactos das oscilações de preços — bastante comuns na renda variável. Por exemplo, imagine que você comprou um lote de ações a R$ 25, mas tenha receio que elas passem por uma queda.

Nesse caso, é possível fazer hedge com opções de put, garantindo o direito de vender os papéis em uma data futura pelo preço do strike. Assim, se o preço da ação cair no futuro, você contará com a possibilidade de vender seus papéis por R$ 25, evitando maiores prejuízos.

Agora, caso as ações não desvalorizem, você não precisará exercer as opções, perdendo apenas o valor dado como prêmio — que costuma ser bastante inferior ao preço das ações. Na verdade, diversas opções têm os seus prêmios negociados na casa dos centavos — e, por isso, tendem a ser bastante acessíveis.

Além dessa possibilidade, muitas outras estratégias podem ser montadas com opções — inclusive, com operações simultâneas. É comum observar a utilização das chamadas operações estruturadas para proteger o investidor de cenários de queda e ampliar os ganhos em um cenário de alta, por exemplo.

Dessa maneira, as opções podem proteger uma carteira de investimento das mais variadas movimentações do mercado. No entanto, é preciso conhecer a forma correta de montar as estratégias, visando explorar o máximo do potencial desses derivativos financeiros.

Como proteger a carteira de investimentos com opções?

Após conhecer o funcionamento e a utilidade das opções, chegou o momento de aprender como proteger a sua carteira de investimento com opções. Semelhante a qualquer outro investimento, isso envolve a adoção de alguns passos.

Veja os principais:

Identifique o seu perfil de investidor

O passo inicial para utilizar as opções é saber se o risco que elas oferecem é compatível com o seu perfil de investidor. Como você viu, as opções são operações de alto risco. Afinal, se elas não forem exercidas, o tomador perderá integralmente o prêmio pago.

Ademais, o risco pode ser maior ao lançador, pois ele será obrigado a cumprir o contrato, caso seja exercido. Por exemplo, imagine um cenário no qual o laçador tenha vendido opções de call, se obrigando a entregar um ativo por R$ 30,00, sem tê-los em carteira, diante do valor do prêmio.

Se for exercido, ele terá que comprar os ativos no mercado, independentemente do preço, para vendê-los ao titular da call pelos R$ 30,00 combinados. A depender da cotação atual dos ativos, o seu prejuízo pode ser expressivo, superando a quantia de prêmio recebida.

Logo, as operações com opções costumam ser feitas por investidores que contam com maior experiência de mercado e possuem o perfil arrojado — com maior abertura aos riscos.

Aumente os seus conhecimentos sobre o mercado

Como você aprendeu, a utilização das opções na proteção de uma carteira de investimentos demanda bastante conhecimento. Logo, é fundamental procurar e estudar as estratégias capazes de alcançar esse objetivo.

Entre elas, estão:

  • collar;
  • borboleta;
  • condor;
  • trava de baixa ou alta;
  • e muito mais.

Controle os riscos

A premissa por trás da proteção de uma carteira é diminuir a exposição aos riscos da volatilidade do mercado. Portanto, é preciso saber como equilibrar os riscos das suas operações.

Para tanto, contar com auxílio profissional pode ser uma alternativa, especialmente para quem está começando a sua jornada na bolsa de valores. Muitas corretoras de valores contam com assessores de investimento, que podem sanar dúvidas a respeito do mercado de opções, seja para especular ou proteger o seu portfólio.

Contar com materiais e análises profissionais para destravar seu conhecimento e embasar suas decisões também é uma alternativa acertada. Para isso, você pode contar com o Guia Financeiro Vip.

Viu como é possível proteger a sua carteira de investimento com o uso de opções? Então continue estudando a respeito desses derivativos financeiros para utilizá-los a seu favor. Assim, há chances de extrair os melhores resultados de suas operações e proteger o seu patrimônio.

Quer aumentar os seus conhecimentos sobre o mercado financeiro? Confira também 5 conceitos importantes que todo investidor iniciante precisa entender!

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também