Parlamento deu sinais de que quer trabalhar e não ficar refém, diz Bolsonaro

Tempo de leitura: 2 minutos

Com a vitória de aliados do governo nas eleições no Congresso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 4, que o parlamento “deu sinais de que quer trabalhar” e que “não quer ficar refém de uma pessoa”. Sem citar diretamente o nome do ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), Bolsonaro disse que apenas uma pessoa “criava alguns óbices para nós”.

“Eu acredito em especial após essas últimas eleições (no Congresso), que começaram dia 1º de fevereiro, (que) o parlamento deu sinais de que quer trabalhar, não quer ficar refém de uma só pessoa e era uma só pessoa que criava alguns óbices para nós”, declarou em evento em Florianópolis (SC) no período da tarde desta quinta-feira.

O deputado Baleia Rossi (MDB-SP), candidato de Maia, foi o principal adversário do nome apoiado pelo governo na disputa pelo comando da Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL). Na reta final das eleições, Maia intensificou as críticas ao governo e tentou formar uma frente ampla de centro-direita e com partidos de oposição para vencer a disputa. A vitória, contudo, foi de Lira, que recebeu 302 votos contra 145 de Baleia.

O placar com folga na Câmara e também no Senado, onde Rodrigo Pacheco (DEM-MG) saiu vitorioso, foi comemorado por Bolsonaro. O chefe do Executivo disse ter ficado na torcida pelos candidatos governistas. Com a troca no comando das Casas legislativas, o governo espera destravar a agenda econômica e emplacar projetos de interesse do Executivo, como a pauta de costumes.

“Tenho certeza que a partir do dia 1º – em especial pelo placar, no qual eu torci por ele, fui simpático aos dois candidatos -, os números bem comprovaram que a maioria do parlamento quer também cada vez mais ter a liberdade para fazer o melhor pelo nosso Brasil”, disse o presidente.

Na quarta, Bolsonaro entregou uma lista de prioridades para Pacheco e Lira, que incluíam as reformas tributária e administrativa, além das propostas para equilíbrio das contas públicas. Após fazer elogios à bancada catarinense no Congresso, Bolsonaro afirmou que “aos poucos vamos mudando o Brasil com a participação do nosso Congresso Nacional”.

Entrega de veículos

Nesta quinta-feira, Bolsonaro participou da entrega, em Florianópolis, de novos veículos para o Programa de Mobilidade de Assistência Social (MOB-SUAS), do Ministério da Cidadania. Foram entregues 225 veículos, entre carros e micro-ônibus, que serão distribuídos para 135 municípios catarinenses.

Os veículos foram adquiridos com recurso de emenda parlamentar de bancada.

Prefeitos, parlamentares e o governador do Estado, Carlos Moisés, participaram do evento. Os ministros Onyx Lorenzoni, da Cidadania, Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, também prestigiaram o ato de entrega.

Relacionados

STF: Fachin pede para retornar à 1ª Turma quando Marco Aurélio deixar a Corte

O relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, pediu para retornar à Primeira Turma do STF [...]

Estadão - 15/04/2021

Tribunais criam indenização a juízes por aposentadoria

O Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO) ordenou o pagamento de mais de R$ 300 mil para indenizar um desembargador que [...]

Estadão - 15/04/2021

'Não tem ninguém na rua para pedir impeachment'

Após pedir o impeachment dos presidentes Fernando Collor, Dilma Rousseff e Michel Temer, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deu [...]

Estadão - 15/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções