Cotações por TradingView

CDB e CDI: Qual a diferença entre eles?

Tempo de leitura: 7 minutos

CDB e CDI são duas siglas do mercado financeiro que tratam de certificados, mas elas são bem diferentes entre si.

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma das modalidades de investimento de renda fixa, que pode ser indexada ao CDI ou não.

Por sua vez, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é um índice que corresponde à taxa de empréstimos entre os bancos, utilizado como referência de rentabilidade para diferentes aplicações financeiras regulamentadas no Brasil.

Siga a leitura para conferir tudo que você precisa saber sobre CDB e CDI. Amplie seu conhecimento sobre os fatores que influenciam a taxa de rentabilidade dos investimentos.

O que veremos neste artigo?
O que é CDB?
Quais são as vantagens de investir em CDB?
O que é CDI?
O que significa dizer 100% do CDI?
O rendimento do CDI é melhor que o da poupança?
Considerações sobre CDB e CDI

O que é CDB?

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um dos títulos de renda fixa mais conhecidos do mercado financeiro. Eles são ativos de emissão bancária, logo investir em CDB significa emprestar dinheiro para os bancos.

As instituições financeiras utilizam os recursos captados dos poupadores para emprestá-los aos tomadores. Por meio dessa operação, ao receber o valor emprestado acrescido de juros, o banco retira uma parte para si e repassa outra parcela para o investidor, remunerando assim seu capital.

O rendimento do CDB para o investidor pessoa física poderá ser prefixado ou pós-fixado. Essas formas de remuneração são as mais utilizadas no mercado e assemelham-se às utilizadas no Tesouro Direto.

Tipos de CDB

CDB Prefixado

No prefixado, a taxa de remuneração é determinada no momento da contratação, sendo possível saber antecipadamente o valor exato que estará disponível no vencimento.

CDB DI

No CDB pós-fixado, a taxa contratada está atrelada a um indexador ou índice de referência, como o CDI, por exemplo, e só é possível saber quanto o título irá render na data de vencimento.

CDB IPCA

O CDB IPCA, também conhecido como título “híbrido”, é atrelado ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e adicionado a uma taxa prefixada, por exemplo o IPCA + 4% a.a.

Quais são as vantagens de investir em CDB?

  • Liquidez diária: alguns Certificados de Depósito Bancário podem ser resgatados e até transferidos automaticamente para a conta corrente a qualquer momento;
  • Vencimento predeterminado: o CDB possui data programada para o seu vencimento. Dessa maneira, você pode planejar o resgate e só retirá-lo em caso de emergências;
  • Juros mensais: em alguns CDBs, o valor aplicado pode ter carência até o vencimento, mas os juros são pagos mensalmente ao investidor.
  • Segurança: o CDB conta com a proteção adicional do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) que oferece cobertura e proteção aos detentores de títulos de renda fixa de emissão bancária.

Tributação CDB

As aplicações em CDBs contam com a tributação do Imposto de Renda semelhante aos outros títulos de renda fixa. A alíquota atinge apenas o lucro do investimento e é determinada de acordo com a tabela regressiva do IR.

Aplicação de até/ entre (dias) Alíquota %
180 22,5%
181 e 360 20%
361 e 720 17,5%
Maiores que 720 dias 15%
Fonte: Tabela feita a partir dos dados oficiais do link https://www.investidor.gov.br/menu/Menu_Investidor/Old/Valores_Mobiliarios/CDB_RDB.html no dia 22 de janeiro de 2021.

Vale destacar que a cobrança do imposto acontece no vencimento ou resgate do investimento, sendo descontada na fonte. Portanto, a rentabilidade líquida já vem com a alíquota de imposto debitada.

O que é CDI?

O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é a média das taxas de juros praticadas nas operações de empréstimo realizadas diariamente entre os bancos.

 Por norma do Banco Central, todos os dias os bancos devem fechar com caixa positivo, por isso, diariamente estas instituições financeiras emprestam dinheiro entre si para manter o caixa adequado. A taxa utilizada nesse processo é o CDI.

 A taxa DI serve como benchmark para várias aplicações como CDBs, Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), outros títulos de emissão bancária, títulos de crédito privado e também para alguns fundos de investimentos.

Em geral, a taxa DI é referência para aplicações de baixo risco e curto prazo, o que faz com que ela não seja de interesse somente das instituições financeiras, mas também dos investidores. Logo, podemos dizer que a diferença entre CDB e o CDI é que o primeiro é um título de emissão bancária e o segundo é uma taxa de referência. Assim, não é possível “investir diretamente em CDI”, mas sim em títulos que o utilizam como referência.

O que significa dizer 100% do CDI?

Quando se diz que a rentabilidade de um investimento é “100% do CDI”, isso significa que o investidor terá um retorno equivalente à taxa média dos juros praticados nos empréstimos interbancários.

Em outras palavras, imagine que em determinado período o rendimento mensal do CDI foi de 1%, esse valor representaria os 100% do CDI no mês.

Apesar de um slogan chamativo, o investidor deve manter-se atento e averiguar se esta opção, tão comum na conta digital de novos bancos, é o suficiente para atingir as melhores margens de lucro para seu capital.

Principais benchmarks dos investimentos

Os indicadores mais utilizados na renda fixa são a SELIC, CDI e o IPCA. Desses, pode-se dizer que a Selic funciona como uma “taxa mãe”, capaz de influenciar as demais.

A Taxa SELIC é definida pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (COPOM) e tem como objetivo determinar a direção do mercado com base na taxa de juros.

O Banco Central utiliza a Selic para manter a inflação sob controle e a estabilidade da economia nacional. As mudanças nela impactam a rentabilidade de outros ativos financeiros, como os indexados ao CDI e ao IPCA.

Para ilustrar, a rentabilidade dos investimentos indexados ao CDI será menor quando as taxas de juros estiverem baixas. Em cenários de alta da Selic, os ativos pós-fixados tendem a ter maior retorno.

Por ser referenciada à taxa Selic, o CDI é considerado a taxa livre de risco da economia. Por esse motivo, CDBs referenciados a essa taxa e com alta liquidez são comumente utilizados para a reserva de emergência.

O rendimento do CDI é melhor que o da poupança?

Ao contrário do que muitos pensam, a poupança apesar de ser um investimento bancário, não é um título de renda fixa de emissão bancária e sim uma conta remunerada.

Quando um investidor aplica o seu dinheiro na poupança, o banco pode utilizá-lo apenas para fluxo de caixa de saque dos clientes, crédito agrícola e crédito habitacional. 

O cálculo do rendimento da poupança é:

  • Atualização do valor pela Taxa Referencial (TR), que é divulgada pelo BACEN.
  • Remuneração adicional por juros de:
    • 0,5% ao mês quando a SELIC encontra-se acima de 8,5% ao ano;
    • 70% da taxa Selic, quando a taxa selic estiver abaixo de 8,5% ao ano.

 O cálculo de rentabilidade da poupança ocorre somente a cada 30 dias, período chamado de data de aniversário, que é definido a partir do dia de cada depósito. Além disso, caso o valor aplicado seja resgatado no intervalo do aniversário de 30 dias, não haverá remuneração pelo dinheiro investido.

À primeira vista, a conta-poupança parece ser uma boa opção de investimento de renda fixa, por ser isenta de Imposto de Renda. No entanto, suas regras de rendimento e a data de aniversário para pagamento da remuneração tendem a deixar sua rentabilidade sempre à margem da SELIC.

Por isso, no momento atual, uma aplicação financeira referenciada em 100% do CDI, mesmo com incidência de Imposto de Renda, tende a ser melhor que a poupança.

Considerações sobre CDB e CDI

O CDB é um título de emissão bancária e pode ser indexado ao CDI, logo entendemos que o CDB é um tipo de investimento e o CDI um índice de referência para investimentos.

É muito importante saber a diferença entre essas nomenclaturas para acertar na escolha dos investimentos de renda fixa adequados ao seu perfil investidor.

Atenção: nem todo CDB é indexado ao CDI. Por isso, antes de começar a investir faça uma análise dos títulos ou fundos escolhidos para compor a sua carteira de investimentos. Faça o mesmo com os bancos emissores e prazos de resgate, assim você pode evitar de aplicar seu dinheiro em um título não condizente com os seus objetivos financeiros.

Agora que você já sabe sobre as diferenças entre CDB e CDI, abra sua conta gratuita na Guide e conte com o time de assessores para tirar suas dúvidas e auxiliar sua vida financeira.

Você pode se interessar também por:

Relacionados

O que são investimentos em renda fixa? Guia simplificado!

Ao começar a investir, é comum que um dos primeiros passos seja compreender o que são os investimentos em renda fixa. [...]

Guide Investimentos - 20/01/2022

CDB ou Fundo DI: em qual opção investir?

Ao analisar o universo dos investimentos e se deparar com as inúmeras alternativas do mercado, muitos podem ficar em dúvida sobre [...]

Guide Investimentos - 11/01/2022

Tributação CDB: como funciona as taxas desse título de renda fixa?

Os investimentos de renda fixa costumam atrair a atenção de investidores por sua segurança e previsibilidade. Nesse grupo, os produtos emitidos [...]

Guide Investimentos - 10/01/2022
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções