Cotações por TradingView

Buy and Hold e vantagens competitivas

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das estratégias mais famosas entre os investidores de valor é o Buy and Hold, que, basicamente, consiste em comprar a ação de uma empresa e mantê-la na carteira por décadas. No entanto, é necessário ter cautela para que esse método realmente funcione.

O primeiro ponto essencial é o preço. Caso pague caro demais, não importa o quão maravilhoso seja o negócio, dificilmente, o investidor conseguirá um bom retorno.

O segundo ponto é a qualidade da empresa do momento da compra em diante. A empresa pode ter performado muito bem no passado. Porém, lembre-se de que você está comprando o futuro.

Dessa forma, para o Buy and Hold funcionar, é preciso encontrar empresas com alta rentabilidade e vantagens competitivas que sejam sustentáveis nas próximas décadas. Somente com essas características, uma companhia irá gerar valor ano após ano.

Os conceitos de alta rentabilidade e vantagem competitiva estão, normalmente, interligados. Uma companhia rentável, cujos retornos são altos perante o capital investido em suas operações, provavelmente tem uma vantagem que a permite gerar maiores receitas ou menores custos por unidade vendida em relação aos seus competidores.

Há diversos tipos de vantagens competitivas. Essas são as mais conhecidas:

  • Patentes/tecnologias: produtos inovadores que, de forma consistente, geram alto retorno para companhia provavelmente têm tecnologias difíceis de serem copiadas ou são protegidos por patentes.
    Na ausência de uma tecnologia irreplicável ou de uma patente, mesmo o produto sendo inovador, o alto retorno não irá persistir por muito tempo, devido à competição inerente a qualquer mercado.
    Um bom exemplo é o setor farmacêutico. Já ocorreram diversos casos em que uma companhia criou um fármaco patenteado, que gerava uma boa rentabilidade, devido à capacidade de cobrar um preço alto. Isso seguiu até o vencimento da patente, quando surgiram os genéricos e os preços foram derrubados.
  • Marca: algumas companhias conseguem cobrar preços maiores em relação à concorrência com qualidade similar, devido à marca forte.
    É o caso dos produtos da Apple. A marca é tão enraizada na mente das pessoas, que estas acabam pagando mais caro por um item mesmo havendo no mercado opções de qualidade semelhante a um preço mais acessível.
  • Recursos privilegiados: ao contrário das anteriores, esta é uma vantagem de custo. Às vezes, uma companhia conta com acesso à uma fonte de recursos que não pode ser replicada.

Por exemplo, segundo estudos da McKinsey, na década de 2000, a Norilsk Nickel tinha acesso a recursos privilegiados oriundos de uma mina de níquel na Sibéria. Dela, também conseguia extrair outros metais preciosos, como o paládio.

O mesmo não ocorria com a mineradora brasileira Vale, que tinha acesso às minas na América do Sul, mas com minérios ausentes de outros metais de alto valor. Isso resultou, em 2007, em uma rentabilidade menor para a Vale na comparação com a Norilsk Nickel.

Warren Buffett gosta de pensar nas vantagens competitivas como um moat (fosso, em inglês) que protege um castelo (a empresa) de seus concorrentes. Quanto maior e mais profundo é o fosso, com mais confiança poderemos afirmar que a companhia será capaz de criar valor nas próximas décadas.

Buffett ainda gosta de se questionar: “caso me dessem US$ 10 bilhões, quanto que conseguiria prejudicar a empresa?” Se, mesmo com bastante capital, não conseguirmos atacá-la de modo satisfatório, tal empresa tem moats extensos.

Vale ressaltar que o capitalismo é brutal. Portanto, é pouco provável que uma empresa consiga manter suas vantagens competitivas para sempre, ainda que estas sejam robustas e duráveis.

Por fim, na maioria dos casos, não basta reconhecer apenas as qualidades da companhia. O mais interessante seria identificar os hidden moats, isto é, as fossas ocultas. Do contrário, o prêmio já estará precificado na cotação da ação, tendo em vista que as vantagens competitivas óbvias são facilmente assimiladas pelo mercado.

Se você for capaz de encontrar o tesouro antes de todos, terá a chance de capturar maiores retornos.

Relacionados

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021

Quanto vale cada ponto no mini dólar? Tire suas dúvidas!

Os minicontratos de dólar estão entre as alternativas mais procuradas por especuladores que buscam ganhos no curto ou curtíssimo prazo. Porém, [...]

Guide Investimentos - 25/11/2021

Fundo long only: quais as diferenças para outros fundos de ações?

O mercado de renda variável é repleto de alternativas. Por exemplo, você pode investir em ações, FIIs (fundos imobiliários), ETFs (fundos [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções