CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Bandas de Bollinger: o que é e como usar

18 de maio de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 6 min
Compartilhar
imagem ilustrativa
Tempo de leitura: 6 min

Desenvolvida por John Bollinger, analista financeiro americano, as bandas de Bollinger são indicadores que auxiliam a tomada de decisão nas entradas e saídas das operações pelos traders de mercado.

As bandas de Bollinger nada mais são do que duas linhas em torno de uma média móvel que são traçadas a dois desvios padrão acima e abaixo da média móvel. As Bandas de Bollinger, essencialmente, derivam de uma média móvel, que pode ser aritmética (MMA) ou exponencial (MME), no entanto, a mais popularmente utilizada é a média móvel aritmética ou simples.

Conheça a conta Trader na Guide Investimentos. A conta exclusiva para day trade.

As linhas em torno da média formam um canal cujo preços variam dentro desse intervalo em grande parte do tempo, testando o limite superior e inferior do canal traçado por elas. Em outras palavras, é como se os preços estivessem em um envelope. O principal objetivo da banda Bollinger é identificar a volatilidade e se é uma região de sobrecompra ou sobrevenda.

Bandas de Bollinger (linhas azuis) em torno de uma média móvel (linha verde).
Bandas de Bollinger (linhas azuis) em torno de uma média móvel (linha verde).

Calculando as Bandas de Bollinger

As plataformas gráficas já contêm esse indicador incluso e ao operador cabe apenas inseri-lo no gráfico, não sendo necessário o cálculo de forma manual, mas para o operador mais curioso, segue o cálculo por trás das bandas de Bollinger.

A banda de Bollinger parte de uma média móvel aritmética, geralmente de 20 períodos, e é adicionado dois desvios padrões para cima e para baixo. Imagine os seguintes preços de fechamento da tabela abaixo:

tabela de preços de fechamento

A média aritmética ou simples desse conjunto de preços é de R$ 6,04, que é exatamente a linha que fica no centro da banda, representada pela MMA.

O desvio padrão desse conjunto de preços é de R$ 0,09, então, basta somar dois desvios padrões na média para se encontrar a linha superior da banda e subtrair dois desvios padrões da média para que se encontre a linha inferior.

Dessa forma, utilizando o mesmo conjunto de preços que foi calculado a média, teríamos um intervalo de preços entre R$ 6,22 (linha superior) e R$ 5,86 (linha inferior), isso significa que há uma probabilidade de 95% de o preço variar dentro desse intervalo, que é justamente a Banda de Bollinger.

banda superior, inferior e média móvel

O desvio padrão é uma medida de dispersão de um conjunto, ou seja, o quanto cada elemento de um determinado conjunto se afasta da média deste conjunto. Dessa forma, é possível medir a volatidade, e é justamente por capturar a volatidade que a banda de Bollinger se diferencia de outros indicadores de canais de preços, que são fixos ao redor da média.

À medida que a volatilidade, representada pela variação dos preços, aumenta, as bandas se afastam da média móvel. Quando a variação dos preços está mais comportada, há uma queda na volatilidade e, consequentemente, uma aproximação das bandas à média móvel.

Bandas de Bollinger (linhas azuis) afastada da média móvel (linha verde), indicativo de maior volatilidade (círculo verde). Bandas de Bollinger (linhas azuis) próxima da média móvel (linha verde), indicativo de menor volatilidade (círculo vermelho).

É muito comum os operadores utilizarem 20 períodos para calcular as bandas, isso porque, Bollinger utilizou esse período como padrão, mas caso o operador queira utilizar outros períodos também é possível, basta fazer pequenos ajustes no desvio padrão, como sugere John Bollinger em seu livro, Bollinger on Bollinger bands, e conforme tabela abaixo:

Fonte: Bollinger on Bollinger bands

Como utilizar as Bandas de Bollinger

Diferentemente de uma média móvel, as bandas de Bollinger não são um indicador de tendência, o que significa que ela não vai apontar a direção em que os preços devem seguir. Ela é um indicador de volatilidade, pois quando as suas linhas começam a dar sinais de afastamento uma da outra, ou seja, apontam para direções opostas, indicam ao operador que uma forte variação dos preços está por vir.

Bandas apontando para lados opostos (setas vermelhas), indicação de que maior volatilidade está por vir.

Quando a média móvel apontar para baixo, se o operador realizar uma venda próxima à média (seta vermelha na imagem abaixo), poderá encerrar a posição com lucro quando o preço tocar a linha inferior da banda (seta verde). Como o preço tende retornar a média, o operador poderá comprar quando o preço está na região da banda inferior e apresentar um candle de reversão (seta verde) e realizar o lucro no retorno à média (seta amarela).

Venda com a média móvel apontando para baixo (seta vermelha), realiza no candle de reversão (seta verde).

Quando a média móvel apontar para cima, se o operador realizar uma compra próxima à média (seta vermelha na imagem abaixo), poderá encerrar a posição com lucro quando o preço tocar a linha superior da banda (seta verde). Como o preço tende a retornar a média, o operador poderá vender quando o preço está na região da banda inferior e apresentar um candle de reversão (seta verde) e realizar o lucro no retorno à média (seta amarela).

Compra com a média móvel apontando para cima (seta vermelha), realiza no candle de reversão (seta verde).

Quando a média móvel apresentar tendência horizontal, é possível realizar venda na linha superior da banda e compra na linha inferior da banda. No entanto, por formar canais de preços muito estreitos, essas operações podem trazer pequenos retornos. Os maiores lucros estão nas operações que surfam o aumento da volatilidade representado por canais mais largos.

Média móvel horizontal (linha verde), mercado lateralizado, sem tendência definida.

Operando opções com média móvel

Quem opera opções sabe que a volatilidade do ativo objeto é fundamental na precificação das opções, quando o ativo objeto está com baixa volatilidade, os preços das opções tendem a variar de maneira comportada. Nos momentos de alta volatilidade, as opções apresentam forte variação de preços. As bandas de Bollinger podem auxiliar tanto o comprador quando o vendedor de opção a identificar o melhor momento de realizarem as suas operações.

Resumidamente, quando as bandas do ativo objeto estão largas é um bom momento para o lançador de opção, pois a maior volatilidade joga para cima os preços das opções, o que faz com que o lançador receba um prêmio maior pela opção lançada.

Quando a volatilidade está baixa, as bandas comprimem a média móvel do ativo objeto e, consequentemente, os preços das opções variam menos e em um patamar mais baixo, o que pode significar um bom momento para comprar opções a preços mais baixos, fazendo com que o titular desembolse menos prêmio.

Evidentemente que outros fatores também são importantes para a precificação de uma opção, como o preço de exercício, taxa de juros, o tempo para o vencimento, enfim, as bandas de Bollinger podem ser utilizadas como um indicador auxiliar na estratégia de opções, mas não isoladamente.

imagem ilustrativa

Conclusão

As Bandas de Bollinger podem ser utilizadas de diversas maneiras com cruzamento de duas médias móveis, topos e fundos formados fora da banda seguidos de topos e fundos dentro da banda que podem sinalizar uma reversão de tendência dos preços, carregar a posição de uma banda a outra e explorar melhor o alargamento do canal.

Cabe ao operador de mercado realizar os estudos, testar as estratégias e identificar qual setup melhor se encaixa em suas operações e lhe garante o melhor retorno.

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também