Cotações por TradingView

Ativos reais x ativos financeiros: entenda as diferenças entre eles!

Tempo de leitura: 5 minutos

Para quem já investe ou busca novas formas de ampliar seu capital, uma dúvida comum pode ser a escolha entre ativos reais e financeiros. Mas será que há uma alternativa que, de fato, seja mais vantajosa para você?

Apesar de cada um ter suas características, os dois tipos de ativos funcionam para expandir o potencial de rentabilidade de um investidor e diversificar sua carteira. No entanto, eles exercem essas funções a partir de lógicas distintas. Por isso, é importante conhecê-las.

Para ajudá-lo a entender mais sobre o tema, preparamos este artigo. A seguir você descobrirá as diferenças entre ativos reais e ativos financeiros e conhecerá as principais características de cada um para tomar as melhores decisões de investimento.

Acompanhe!

O que são ativos reais? 

Os ativos reais são aqueles que existem de forma física. Nesse cenário, é possível incluir os maquinários, imóveis, itens de colecionador, entre muitos outros. Ou seja, bens materiais que, de certa forma, são palpáveis.

Ao comprar uma propriedade e construir uma casa, por exemplo, uma pessoa está investindo em um ativo real. Assim, ela pode alugar esse imóvel e o tornar em uma fonte de renda passiva a partir do recebimento de aluguéis de seus inquilinos.

Os ativos reais se configuram em uma das primeiras formas de investimento, tradicionalmente valorizados pelos brasileiros. Além disso, estão fortemente atrelados a economia real, com impacto direto no cotidiano da população.

Quais as principais características dos ativos reais?

Como você viu, os ativos reais são aqueles físicos. Desse modo, uma de suas principais características é a menor suscetibilidade às oscilações do mercado financeiro.

Para que isso fique claro, podemos voltar ao exemplo do imóvel acima. Imagine que o país está em uma crise financeira. Nessa ocasião, é comum que a bolsa de valores apresente queda, mas é possível que a sua casa tenha o preço afetado em menor proporção.

Ao mesmo tempo em que podem ser sólidos, os ativos reais também podem levar mais tempo para se recuperar de uma crise. Enquanto investimentos na bolsa de valores podem ser mais dinâmicos e subir de preço, por exemplo, a cotação do imóvel pode se manter baixa por mais tempo.

Outro ponto de atenção nesses ativos é a liquidez — isto é, a capacidade de um investimento ou bem ser transformado em dinheiro novamente. No caso dos ativos reais, normalmente eles envolvem negociações mais complexas, o que os conferem uma menor liquidez.

O que são ativos financeiros?

Os ativos financeiros apresentam algumas diferenças relevantes em relação aos ativos reais. A principal delas está no fato de não possuírem uma presença física. Portanto, são considerados intangíveis.

Dessa forma, o que representa um ativo financeiro são documentos e títulos. Quem opera na bolsa de valores e compra ações de uma empresa, por exemplo, tem um registro online que valida a aquisição.

Além disso, diferentemente de ativos reais, os seus impactos no cotidiano da população podem não ser tão perceptíveis. Isso não significa, no entanto, que ativos financeiros não existam ou sejam menos importantes. Ao contrário, eles podem trazer muitas vantagens.

Quais as principais características dos ativos financeiros?

Um dos principais aspectos que caracterizam os ativos financeiros está na liquidez. Isso significa dizer que eles normalmente podem ser negociados de forma mais rápida, permitindo que o investidor resgate seu capital.

Contudo, nem todos esses ativos possuem o mesmo nível de liquidez. É possível, por exemplo, que as ações de uma empresa X sejam mais líquidas que as ações de uma empresa Y. Assim, cada papel pode apresentar características diferentes.

Além desse ponto, os ativos financeiros estão mais expostos à volatilidade do mercado. Dessa forma, podem apresentar valorizações e desvalorizações de forma mais frequente. Mas, como você viu, também podem se recuperar mais rapidamente do que ativos reais.

Mais uma característica comum a essas alternativas é que sejam mais acessíveis a todo investidor. Considere novamente o exemplo dos imóveis. Para que a compra do terreno e a construção da casa se concretizem, é preciso que o investidor aplique muito capital nesse processo, certo?

Já com ativos financeiros, o valor necessário para começar pode ser menor. Assim, é possível comprar ações, títulos de renda fixa e outras possibilidades investindo bem menos do que seria necessário para um ativo real.

Quais as diferenças entre ativos reais e ativos financeiros?

Como você viu, a principal diferença entre os ativos financeiros e os reais está em sua lógica de funcionamento. Enquanto os primeiros estão associados ao mercado financeiro, os reais são fortemente vinculados à economia cotidiana.

Outro ponto que os difere é a liquidez, que costuma ser maior em ativos financeiros. Ademais, é possível citar o quão suscetíveis são às oscilações do mercado. Nesse ponto, os ativos reais podem ser mais estáveis e os ativos financeiros podem estar mais expostos à volatilidade.

Por fim, quanto à rentabilidade, é difícil comparar ambos. Essa questão depende da estratégia do investidor e de como é a composição da sua carteira. Assim, de acordo com as alternativas selecionadas, é possível conquistar retornos positivos tanto com ativos reais quanto financeiros.

No entanto, considerando a praticidade e acessibilidade, os ativos financeiros podem ter um melhor custo-benefício. Ou seja, possibilitar maior potencial de retorno com menos investimento. Afinal, como você viu, fazer um investimento financeiro costuma ser mais barato que comprar bens físicos.

É melhor investir em ativos reais ou financeiros?

Tanto os ativos reais quando os financeiros podem trazer oportunidades de ganhos para você. Ambos oferecem a chance de ter uma fonte de rendimentos. Mas, apesar de serem populares no Brasil, os investimentos que envolvem bens físicos envolvem aporte maior e mais burocracia.

Dessa forma, os ativos financeiros surgem como uma alternativa mais simples e prática para rentabilizar seu patrimônio. Eles são mais facilmente acessíveis, precisando apenas de uma conta em uma corretora de valores para montar sua carteira de investimentos.

Caso você tenha interesse, é possível mesclar as duas estratégias. Você conseguiria ter uma carteira de investimentos e também bens físicos. Mas, para quem tem interesse no mercado imobiliário, por exemplo, é possível se expor a ele de maneira mais prática por meio de fundos imobiliários (FIIs).

Agora você conhece os ativos reais e financeiros e pode avaliar qual grupo traz mais vantagens para seu portfólio. Investimentos realizados no mercado financeiro agregam potencial de rentabilidade e simplificação para você. Logo, vale a pena considerar as vantagens!

Quer entender e acompanhar as principais notícias e tendências do mercado financeiro? Seja um assinante do Guia Financeiro e destrave seu conhecimento!

Relacionados

Quanto vale cada ponto no mini dólar? Tire suas dúvidas!

Os minicontratos de dólar estão entre as alternativas mais procuradas por especuladores que buscam ganhos no curto ou curtíssimo prazo. Porém, [...]

Guide Investimentos - 25/11/2021

Fundo long only: quais as diferenças para outros fundos de ações?

O mercado de renda variável é repleto de alternativas. Por exemplo, você pode investir em ações, FIIs (fundos imobiliários), ETFs (fundos [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021

Front running: veja por que é uma prática ilegal!

No mercado financeiro, especialmente para os que buscam ganhos no curto prazo, adiantar-se e tomar decisões rápidas é primordial. Contudo, nem [...]

Guide Investimentos - 22/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções