Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda

Tempo de leitura: 2 minutos

As bolsas europeias fecharam a maioria em baixa nesta quinta-feira, 29, com alguns índices revertendo ganhos após subirem no início do pregão. O movimento acompanhou a perda de fôlego nas bolsas de Nova York, cujo índice Nasdaq virou para o negativo antes do fim do pregão nas praças europeias, diante da aceleração nos juros dos Treasuries, que penalizaram ações de companhias de tecnologia. O dia também foi marcado pela divulgação de indicadores da economia da zona do euro.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,26%, aos 438,77 pontos.

O FTSE 100, da bolsa de Londres, teve queda modesta de 0,03%, aos 6.961,48 pontos. A Glencore recuou 0,94% nesta quinta, antes da mineradora britânica divulgar seu balanço corporativo do último trimestre. Já o papel da Royal Dutch Shell na bolsa londrina teve baixa de 1,24%, mesmo com o lucro líquido no primeiro trimestre da empresa superando expectativas. Na contramão, a Unilever subiu 3,32%, após resultados trimestrais que agradaram investidores.

No início do pregão desta quinta-feira, as bolsas europeias operavam em alta, seguindo a divulgação de dados de economias europeias que vieram acima do esperado. Entre eles, o índice de sentimento econômico da zona do euro avançou para 110,3 pontos em abril, retomando o nível anterior à pandemia de covid-19. Já a confiança do consumidor na região teve alta a -8,1 no mesmo mês, confirmando a estimativa de analistas.

Na Alemanha, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de abril teve alta de 0,7% ante março, um pouco acima do projetado. O índice DAX, de Frankfurt, acumulou a maior queda entre os principais índices de referência europeus nesta quinta, de 0,90%, aos 15.154,20 pontos. Empresas ligadas ao setor automotivo tiveram algumas das principais baixas, com destaque para Continental (-4,35%), Volkswagen (-3,01%) e Daimler (-1,97%).

O índice CAC 40, de Paris, fechou em baixa de 0,07%, aos 6.302,57 pontos, enquanto o FTSE MIB, de Milão, cedeu 0,74%, aos 24.278,20 pontos. Na França, a ação da Airbus avançou 0,70%, após resultados trimestrais lidos como positivos pelo mercado.

Na contramão dos demais índices europeus, o IBEX 35, de Madri, fechou em alta de 0,27%, aos 8.823,20 pontos, e o PSI 20, de Lisboa, acumulou ganho de 1,31%, aos 5.083,29 pontos.

Entre discursos de autoridades, o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, afirmou que a situação econômica da zona do euro no primeiro trimestre pode ter sido pior do que o esperado pela entidade, ainda sob efeitos da pandemia e a lenta vacinação no continente. O comissário europeu para Economia, Paolo Gentiloni, porém, destacou uma perspectiva mais positiva, ao afirmar que a imunização está “ganhando fôlego” na região.

Relacionados

Pelosi: payroll reforça necessidade por investimentos sociais e em infraestrutura

O "decepcionante" resultado do relatório de empregos de abril dos Estados Unidos reforça a "necessidade urgente" de aprovar os planos de [...]

Estadão - 07/05/2021

OMS: apoio à quebra de patentes dá suporte significativo à equidade de vacinas

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom disse que o apoio dos Estados Unidos à quebra de patentes de [...]

Estadão - 07/05/2021

União honrou R$ 477,74 milhões em dívidas de Estados em abril, diz Tesouro

O Tesouro Nacional precisou desembolsar R$ 477,74 milhões em abril para honrar débitos bancários com garantias da União que não foram [...]

Estadão - 07/05/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções