CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Ações ordinárias x preferenciais: qual a diferença?

4 de novembro de 2020
Escrito por Suno Research
Tempo de leitura: 3 min
Compartilhar
Qual a diferença entre ações ordinárias e preferenciais? - ilustração de aviões de papel voando em diferentes direções com linhas que simulam gráficos vindo atrás deles
Tempo de leitura: 3 min

Uma das primeiras coisas que chamam a atenção do investidor ao começar a negociar ações no mercado financeiro é o código que cada papel possui, composto de 4 letras seguidas de 1 número. Esse número indica o tipo da ação: ordinárias e preferenciais. E é necessário entender as diferenças entre esses tipos de ativos para poder fazer boas escolhas de investimento.

O que veremos neste artigo?
O que são ações ordinárias?
O que são ações preferenciais?
Outros códigos de ações

O que são ações ordinárias?

As ações ordinárias (ON) são aquelas cujo código termina em “3”. Essas ações dão direito a voto nas assembleias. Ou seja, os detentores das ações ON podem direcionar o andamento da empresa, proporcionalmente ao percentual que têm dela. Por isso, são essas as ações que controladores das empresas detêm.

Algumas empresas possuem apenas ações ordinárias listadas. Esse é o caso das empresas que se enquadram no segmento de governança corporativa do Novo Mercado, que é mais alto disponível na B3.

Uma das grandes vantagens das ações ON é que elas possuem obrigatoriamente tag along de pelo menos 80% (em alguns casos, de 100%). O tag along é um mecanismo de proteção ao acionista que garante que, em caso de alienação do controle da companhia, os acionistas comuns terão o direito de vender as suas ações por um preço similar ao preço de negociação do controle.

Também vale destacar o alinhamento de interesses entre acionistas e direção nesse tipo de ação. Isso porque como essas ações também são detidas pelos controladores da empresa, diminui o risco de que seja tomada qualquer atitude prejudicial aos acionistas ordinários da companhia. Por conta dessas características, existem investidores que só investem em ações ON.

Apesar disso, vale ressaltar um cuidado: em certos casos, as ações ON possuem liquidez muito baixa, o que pode dificultar a montagem e desmontagem de posição. Assim, o investidor deve considerar isso no momento de escolher.

O que são ações preferenciais?

As ações preferenciais (PN) são aquelas cujo código termina, normalmente, com o número “4”. Esses papéis dão preferência no recebimento de dividendos. Certas empresas distribuem dividendos maiores para detentores de ações PN, por exemplo.

Também dão preferência no reembolso do capital em caso de falência ou liquidação da empresa, fazendo com que seus acionistas tenham maior chance de recuperar uma parte da perda nesse caso do que detentores de ações ON.

Ao contrário das ações ON, as ações PN nem sempre possuem tag along. Apesar disso, algumas empresas optam por fornecer essa proteção adicional ao acionista.

Algumas empresas possuem mais de uma classe de ação PN. Nesse caso, o código pode terminar entre “5” e “8”. Quando isso acontecer, haverá alguma diferença entre as classes. Por exemplo, uma delas poderá ter um dividendo mínimo maior e outra poderá ter mais prioridade no reembolso de capital. Para saber detalhes, é preciso verificar essas informações diretamente com o setor de relações com investidores da empresa.

Outros códigos de ações

Existem alguns outros códigos que o investidor também deve conhecer. Ações terminadas em “11” são as units (não confundir com fundos imobiliários ou ETFs, que também terminam da mesma forma). Units são “pacotes” de ações, que vão conter um número especificado de ações ON e PN.

Também vale destacar o final “34”, que é o código mais comum reservado para BDRs (Brazilian Depositary Receipts), que são recibos de ações estrangeiras negociados em bolsa brasileira.

A decisão entre qual tipo de ação comprar depende da preferência de cada investidor. Alguns investidores preferem comprar sempre a ação ON. Outros preferem a ação que pagar mais dividendos. Outros podem preferir a ação de maior liquidez. Seja como for, é impossível escolher as ações de forma apropriada, ao compor a carteira de investimentos, sem entender as diferenças entre cada tipo.

Somos a maior casa de análises financeiras independente, que educa e apoia o pequeno e médio investidor de valor - pessoa física - a atingir a sua independência financeira. Para isso, fornecemos conteúdos educativos e recomendações de investimentos de excelente qualidade, com foco no longo prazo e com total respeito ao consumidor, sem promessas desleais ou mirabolantes.

Veja também