A páscoa e o enigma dos Ovos de Páscoa

Tempo de leitura: 2 minutos

Há algumas certezas na vida. A morte certamente é uma delas. Há algumas coisas que se repetem em determinado período de tempo, como é o caso das Olimpíadas e da Copa do Mundo de Futebol, que ocorrem a cada 4 anos de forma intercalada. Ah, e claro, os feriados nacionais, que são comemorados sempre no mesmo dia do ano, para alívio dos assalariados e “pesadelo” dos empregadores. Um dos feriados sempre lembrados é o da Páscoa, que ocorre normalmente em abril e é marcado pela reunião em família, através de almoços demorados e troca de presentes.

O presente mais comum é o Ovo de Páscoa, que faz a alegria de crianças e de muitos adultos por aí. E sempre que chegamos nessa época do ano, o assunto a respeito dos preços dos ovos de páscoa volta a mesa de discussão: afinal, por que eles são tão caros comparativamente às barras de chocolate?

Um breve exercício foi realizado para verificar se a discussão se sustenta. Foi coletado o preço da barra de chocolate e do Ovo de Páscoa da mesma marca e tipo, e verificado o “ágio” da grama de chocolate contida no Ovo contra a barra. Eis os resultados:

 

Fonte: Pesquisa realizada na Internet em 14/04/2019, no período da noite.

Nos três casos pesquisados, o preço da grama de chocolate contido no ovo de páscoa é pelo menos 3 vezes mais caro que o mesmo conteúdo contido na barra de chocolate, o que equivale a um ágio de 215% em média. Mesmo assim, os ovos de páscoa continuam vendendo muito bem obrigado em supermercados, lojas e onde mais que eles estiverem expostos acima de nossas cabeças.

Os motivos para essa diferença notável foram brilhantemente explicados no: Ovos de Chocolate: picaretagem ou pura racionalidade econômica?. Mas, de forma resumida, as razões para o sobre preço são de ordem econômica (há demanda e os custos de fabricação pesam), comportamental (o formato do produto importa!) e social (quem arrisca quebrar a tradição?). Além disso, há um outro artigo bastante interessante que discute os motivos microeconômicos de tal diferença de preços, através do conceito de elasticidade de preços (tanto no do ponto de vista da demanda quanto da oferta). Para quem gosta um pouco mais de matemática e não tem medo de algumas equações, o artigo é um prato cheio.

Assim, o enigma da Páscoa pode ser resolvido com um pouco de teoria econômica e com muito contexto social. Afinal, quem quer ficar sem o seu ovo de Páscoa, não é mesmo?

Um excelente feriado a todos!

Relacionados

Bolsonaro cita 'toque de recolher' na Argentina e Fernández desmente brasileiro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quinta-feira, pelo Twitter, que a Argentina vive um "toque de recolher" entre "20h [...]

Estadão - 15/04/2021

Promar pode atrair US$ 15 bi e novos agentes em 5 anos com novo marco regulatório

A revitalização de campos maduros no Brasil pode atrair investimentos de até US$ 15 bilhões de dólares nos próximos cinco anos [...]

Estadão - 15/04/2021

Tribunais criam indenização a juízes por aposentadoria

O Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO) ordenou o pagamento de mais de R$ 300 mil para indenizar um desembargador que [...]

Estadão - 15/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções