AIE prevê queda na demanda por petróleo em 2020 e aumento recorde em 2021

Tempo de leitura: 1 minuto

A pandemia do novo coronavírus vai prejudicar fortemente a economia global e a demanda por petróleo este ano, mas cortes de oferta por grandes produtores e um avanço recorde no consumo no próximo ano vão ajudar a reequilibrar o mercado, segundo avaliação da Agência Internacional de Energia (AIE).

Em relatório mensal divulgado nesta terça-feira, a AIE reduziu sua projeção de queda na demanda global por petróleo em 2020 em 500 mil barris por dia (bpd), para 8,1 milhões de bpd, contração que, ainda assim, será a maior da história. Já para 2021, a agência prevê aumento recorde de 5,7 milhões de bpd na demanda.

Segundo a AIE, o gradual processo de reabertura econômica em vários países, após o choque do coronavírus, ajudou a impulsionar a recuperação da demanda. Na China, por exemplo, a demanda por petróleo em abril chegou quase aos níveis em que estava um ano antes, ressalta a agência.

Se a recuperação persistir e grandes produtores seguirem adiante com planos de restringir sua oferta, o “mercado estará numa posição mais estável no fim do segundo semestre (de 2020)”, prevê a AIE.

Recentemente, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados – grupo conhecido como Opep+ – decidiram prorrogar os atuais cortes de 9,7 milhões de bpd na oferta coletiva em um mês, até o fim de julho.

A AIE estima que a oferta global por petróleo sofreu diminuição de 11,8 milhões de bpd em maio. Neste ano, a previsão é de que a produção recua 7,2 milhões de bpd, antes de crescer 1,7 milhão de bpd em 2021.

Ainda no documento, a agência estima que os estoques de petróleo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) tiveram aumento de 4,9 milhões de barris em abril, a 3,137 bilhões de barris.

Relacionados

EUA atingem marca de 50% dos adultos vacinados com a primeira dose

Metade dos adultos dos Estados Unidos recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, anunciou o governo do país [...]

Estadão - 19/04/2021

EUA já aplicaram 1ª dose de vacina em mais da metade da população adulta

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, o País já aplicou a primeira [...]

Estadão - 18/04/2021

Acidente de trem no Egito deixa ao menos 11 mortos e 100 feridos

Um acidente de trem na província de Qaliubia, norte do Cairo, no Egito, deixou 11 mortos e ao menos 100 feridos [...]

Estadão - 18/04/2021

AIE prevê queda na demanda por petróleo em 2020 e aumento recorde em 2021

Tempo de leitura: 1 minuto

A pandemia do novo coronavírus vai prejudicar fortemente a economia global e a demanda por petróleo este ano, mas cortes de oferta por grandes produtores e um avanço recorde no consumo no próximo ano vão ajudar a reequilibrar o mercado, segundo avaliação da Agência Internacional de Energia (AIE).

Em relatório mensal divulgado nesta terça-feira, a AIE reduziu sua projeção de queda na demanda global por petróleo em 2020 em 500 mil barris por dia (bpd), para 8,1 milhões de bpd, contração que, ainda assim, será a maior da história. Já para 2021, a agência prevê aumento recorde de 5,7 milhões de bpd na demanda.

Segundo a AIE, o gradual processo de reabertura econômica em vários países, após o choque do coronavírus, ajudou a impulsionar a recuperação da demanda. Na China, por exemplo, a demanda por petróleo em abril chegou quase aos níveis em que estava um ano antes, ressalta a agência.

Se a recuperação persistir e grandes produtores seguirem adiante com planos de restringir sua oferta, o “mercado estará numa posição mais estável no fim do segundo semestre (de 2020)”, prevê a AIE.

Recentemente, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados – grupo conhecido como Opep+ – decidiram prorrogar os atuais cortes de 9,7 milhões de bpd na oferta coletiva em um mês, até o fim de julho.

A AIE estima que a oferta global por petróleo sofreu diminuição de 11,8 milhões de bpd em maio. Neste ano, a previsão é de que a produção recua 7,2 milhões de bpd, antes de crescer 1,7 milhão de bpd em 2021.

Ainda no documento, a agência estima que os estoques de petróleo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) tiveram aumento de 4,9 milhões de barris em abril, a 3,137 bilhões de barris.

Relacionados

EUA atingem marca de 50% dos adultos vacinados com a primeira dose

Metade dos adultos dos Estados Unidos recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, anunciou o governo do país [...]

Estadão - 19/04/2021

EUA já aplicaram 1ª dose de vacina em mais da metade da população adulta

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, o País já aplicou a primeira [...]

Estadão - 18/04/2021

Acidente de trem no Egito deixa ao menos 11 mortos e 100 feridos

Um acidente de trem na província de Qaliubia, norte do Cairo, no Egito, deixou 11 mortos e ao menos 100 feridos [...]

Estadão - 18/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções