Moody’s rebaixa rating da Argentina para Ca, com perspectiva negativa

Tempo de leitura: 1 minuto

A Moody’s rebaixou nesta sexta-feira, 3, o rating da Argentina de Caa2 para Ca, com perspectiva negativa. Com isso, a agência diz que concluiu sua revisão da nota iniciada em 30 de agosto de 2019.

A agência de classificação de risco avalia que os credores privados terão de aceitar “perdas substanciais” no atual processo de reestruturação da dívida do governo, além de dizer que o choque financeiro e econômico com a pandemia de coronavírus força o governo a reduzir seus próximos pagamentos de dívida nos anos seguintes. A perspectiva negativa, segundo a agência, reflete o risco de que os investidores tenham perdas que possam ser superiores às consistentes com o rating Ca, “que tipicamente captura perdas de até 65%”.

A falta de acesso aos mercados e o estresse na liquidez, agravados pela pandemia, apontam para uma reestruturação da dívida que “resultará em perdas substanciais para os investidores privados”, prevê a Moody’s em relatório.

Relacionados

Lojas Americanas adquire Grupo Uni.co

A Lojas Americanas comunicou nesta terça-feira, 20, que sua subsidiária IF Capital fechou contrato para a adquirir 70% das ações do [...]

Estadão - 20/04/2021

ONS diz que discussões sobre leilões de potência estão sendo finalizadas

O diretor geral do Operador Nacional do Sistema (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, informou que as discussões sobre os inéditos leilões de [...]

Estadão - 20/04/2021

Presidente do STJ reconsidera decisão e retira Aeroporto de Manaus de leilão

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, reconsiderou sua própria decisão e retirou o Aeroporto Internacional de Manaus [...]

Estadão - 20/04/2021

Moody’s rebaixa rating da Argentina para Ca, com perspectiva negativa

Tempo de leitura: 1 minuto

A Moody’s rebaixou nesta sexta-feira, 3, o rating da Argentina de Caa2 para Ca, com perspectiva negativa. Com isso, a agência diz que concluiu sua revisão da nota iniciada em 30 de agosto de 2019.

A agência de classificação de risco avalia que os credores privados terão de aceitar “perdas substanciais” no atual processo de reestruturação da dívida do governo, além de dizer que o choque financeiro e econômico com a pandemia de coronavírus força o governo a reduzir seus próximos pagamentos de dívida nos anos seguintes. A perspectiva negativa, segundo a agência, reflete o risco de que os investidores tenham perdas que possam ser superiores às consistentes com o rating Ca, “que tipicamente captura perdas de até 65%”.

A falta de acesso aos mercados e o estresse na liquidez, agravados pela pandemia, apontam para uma reestruturação da dívida que “resultará em perdas substanciais para os investidores privados”, prevê a Moody’s em relatório.

Relacionados

Lojas Americanas adquire Grupo Uni.co

A Lojas Americanas comunicou nesta terça-feira, 20, que sua subsidiária IF Capital fechou contrato para a adquirir 70% das ações do [...]

Estadão - 20/04/2021

ONS diz que discussões sobre leilões de potência estão sendo finalizadas

O diretor geral do Operador Nacional do Sistema (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, informou que as discussões sobre os inéditos leilões de [...]

Estadão - 20/04/2021

Presidente do STJ reconsidera decisão e retira Aeroporto de Manaus de leilão

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, reconsiderou sua própria decisão e retirou o Aeroporto Internacional de Manaus [...]

Estadão - 20/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções