Fitch prevê contração global menor em 2020 e maior crescimento em 2021

Tempo de leitura: 1 minuto

A Fitch revisou projeções para a economia global. Em relatório, a agência diz que espera agora contração de 3,7% em 2020, quando em setembro a expectativa era de um recuo de 4,4%. Para 2021, a expectativa de crescimento subiu de 5,2% em setembro para 5,3% agora. Na avaliação dela, a recuperação global deve se fortalecer e ganhar mais corpo a partir de meados do próximo ano, conforme as vacinas contra a covid-19 sejam aplicadas e as medidas de distanciamento social percam força.

As projeções constam do relatório Perspectiva Econômica Global (GEO, na sigla em inglês). Ainda em 2020, a agência diz que a contração deve ser menor do que o antes previsto mesmo com novas quedas no Produto Interno Bruto (PIB) no quarto trimestre da zona do euro e do Reino Unido, após um aperto recente em restrições à circulação por causa da pandemia. A Fitch diz que a mudança reflete o fato de que a atividade global teve uma retomada mais rápida do que o esperado no terceiro trimestre do ano atual.

Para a agência, a trajetória da recuperação global tem se mostrado mais acidentada do que o esperado, com uma segunda onda do vírus levando a novas restrições, mas há também notícias “muito positivas” sobre vacinas para a perspectiva econômica ao longo dos próximos dois anos, na avaliação de Brian Coulton, economista-chefe da Fitch.

A agência diz que, em 2021, deve haver crescimento mais forte no segundo semestre. O PIB dos EUA deve crescer 4,5% em 2021 (de 4,0% na projeção de setembro) e o da China, 8,0% (de 7,7%). Já a zona do euro deve crescer apenas 4,7% no próximo ano, de 5,5% na projeção anterior, afirma a Fitch, com as medidas de restrição à circulação pesando na atividade nos meses de inverno local.

Para 2022, a Fitch espera crescimento global de 4,0%, acima dos 3,6% antes previstos, com mais pessoas vacinadas contra a covid-19 e menos distanciamento social. A zona do euro deve crescer 4,4% em 2022 (de 3,2% na projeção de setembro), em parte também pelos investimentos previstos no fundo de recuperação da União Europeia. Os EUA devem crescer 3,5% em 2022 (de 3,0% anteriormente).

Relacionados

Ouro fecha em baixa, com rendimentos dos Treasuries e pressionado por dólar

O contrato mais líquido do ouro fechou em baixa nesta quinta-feira, em sessão focada nos movimentos dos juros dos Treasuries e [...]

Estadão - 22/04/2021

Fluxo cambial total no ano até 16 de abril é positivo em US$ 9,470 bi, diz BC

O fluxo cambial do ano até 16 de abril ficou positivo em US$ 9,470 bilhões, informou nesta quinta-feira, 22, o Banco [...]

Estadão - 22/04/2021

BC aprimora regulação de arranjos de pagamento

O Banco Central (BC) publicou nesta quinta-feira uma resolução com aprimoramentos na regulamentação de arranjos de pagamentos. De acordo com a [...]

Estadão - 22/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções