Câmara aprova impeachment de Trump pela 2ª vez nos EUA; processo vai ao Senado

Tempo de leitura: 1 minuto

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou, pela segunda vez, o impeachment do presidente norte-americano, Donald Trump. O republicano é acusado pelos parlamentares de “incitação à insurreição”. Na semana passada, apoiadores do líder da Casa Branca invadiram o Congresso para impedir a certificação da vitória de Joe Biden na eleição presidencial.

O processo segue agora para o Senado, mas não deve ser analisado na Casa antes de 19 de janeiro, um dia antes do fim do mandato de Trump.

O impeachment foi aprovado com 232 votos a favor e 197 contra.

Dos integrantes do partido do presidente, 10 votaram para destituí-lo.

“Ao incitar um ataque mortal ao solo sagrado da nossa democracia americana, Donald Trump provou-se incapaz de cumprir os deveres da presidência por mais um segundo sequer”, disse a presidente da Câmara, Nancy Pelosi.

Trump se tornou o primeiro mandatário americano a sofrer impeachment na Câmara duas vezes. Em 18 de dezembro de 2019, a Casa aprovou a destituição do republicano, mas ele foi absolvido no Senado. Naquela vez, Trump era acusado de pressionar o mandatário da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, a abrir uma investigação contra Hunter Biden, filho do então pré-candidato do Partido Democrata à presidência.

A pressão pelo novo processo de impeachment cresceu depois que Trump incentivou apoiadores, durante um discurso, a marcharem até o Capitólio para interromper a certificação de Biden. Desde que perdeu a eleição, em novembro de 2020, o republicano insiste, sem provas, que houve fraude no pleito.

Nesta quarta-feira, o líder do Partido Republicano no Senado, Mitch McConnell, descartou a possibilidade de convocar uma sessão extraordinária nesta sexta-feira, 15, para analisar o impeachment, como chegou a ser especulado.

Dessa forma, uma votação sobre a destituição de Trump não deve ocorrer antes da posse do presidente eleito do país, Joe Biden, em 20 de janeiro. A próxima sessão regular da Casa está marcada para o dia 19.

Em nota a seus correligionários, McConnell disse que ainda não decidiu como votará no impeachment de Trump, mas garantiu que ouvirá os argumentos quando eles forem apresentados ao Senado.

Relacionados

China estuda relaxar controle de natalidade e restrições podem acabar até 2025

As autoridades chinesas estão traçando planos para afrouxar ainda mais as restrições à natalidade e fazer a transição para políticas que [...]

Estadão - 18/06/2021

Startup de seguros Tractable chega ao país

A startup britânica Tractable, que usa inteligência artificial (IA) para ajudar seguradoras a acelerar o processo de reparo de carros após [...]

Estadão - 18/06/2021

UE suspende restrições à entrada de viajantes dos EUA, ante redução da covid-19

A União Europeia (UE) anunciou, nesta sexta-feira, 18, a suspensão das restrições à entrada de viajantes não essenciais dos Estados Unidos [...]

Estadão - 18/06/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções