Iata eleva para US$ 13,6 bi projeção de perda de receita de áreas no Brasil

Tempo de leitura: 1 minuto

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) elevou para US$ 13,61 bilhões a estimativa de perda de receita para as aéreas no Brasil em 2020 por causa da covid-19. Em julho, a associação havia projetado que as aéreas brasileiras perderiam US$ 10,83 bilhões de receita neste ano com a pandemia. Os dados foram divulgados pela associação na tarde desta quinta-feira, em teleconferência com jornalistas.

Já em receita total, a associação espera que as aéreas do País encerrem 2020 com queda de 71% na comparação com o registrado em 2019 – no relatório de julho, a projeção era fechar com queda de receita de 57%.

A crise de covid-19 afetou drasticamente a economia e toda a cadeia aérea. A estimativa é que 393 mil postos de trabalho sejam fechados neste ano no País considerando toda a economia. Somente no setor aéreo, a estimativa é de redução de 108,5 mil vagas de trabalho, apontou a associação. A crise tem poder de tirar US$ 8,9 bilhões do PIB brasileiro neste ano, levando em conta as aéreas e todo o turismo.

Durante o evento, o vice-presidente da Iata para as Américas, Peter Cerdá, destacou que o mercado brasileiro tem se recuperado de forma bastante satisfatória. “Temos boa capacidade no mercado, boa conectividade com o mundo. O número de passageiros internacional está mais lento por causa das barreiras ao turismo estrangeiro na Europa e Estados Unidos”, disse.

Ele lembrou ainda a retomada aos céus do Boeing 737 Max no País, operado pela Gol, o que seria uma boa notícia para o setor.

Cerdá destacou que os países podem aproveitar e incentivar um turismo doméstico enquanto as fronteiras de destinos mais tradicionais estão fechadas. “Há uma oportunidade única de incentivar o turismo local”, disse.

Nos Estados Unidos, principal mercado do continente, a estimativa é uma queda de 69% na receita na comparação com 2019. No México, a queda de receita no ano estimada é de 65%. Na Argentina, redução de 70%.

De forma geral, Cerdá defendeu a abertura dos mercados ao tráfego aéreo e incentivou o uso testes de covid-19 como mecanismo para evitar a propagação do vírus durante as viagens.

Relacionados

Austrália vai retirar tropas do Afeganistão até setembro

A Austrália vai concluir a retirada das suas tropas do Afeganistão em setembro, junto com os Estados Unidos e outros aliados, [...]

Estadão - 15/04/2021

EUA vão anunciar sanções contra a Rússia e expulsão de diplomatas do país

O governo dos Estados Unidos vai impor uma série de medidas retaliatórias à Rússia nesta quinta-feira, 15, em resposta à suposta [...]

Estadão - 15/04/2021

Problema não é de recursos, mas de falta de projetos, diz Ricardo Paes de Barros

O economista e ex-subsecretário de Ações Estratégicas Ricardo Paes de Barros disse nesta quarta, 14, que o problema do Brasil não [...]

Estadão - 14/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções