Small Caps | Novembro/2020

A Carteira SmallCaps encerrou o mês de Outubro no território verde,  acima de seu índice de referência (SMLL). O mês foi negativo para os mercados ao redor do globo, refletindo o aumento significativo de casos de coronavírus na Europa e aproximação das eleições presidenciais e reprovação do pacote de estímulos fiscais nos Estados Unidos. No Brasil, o sentimento foi mais ameno, com a retomada das conversas sobre as reformas e expectativa de que o governo não faça o uso de precatórios para financiar o programa Renda Cidadã, o que deixou o rompimento do teto de gastos em segundo plano no período. Ainda assim, justificamos a alta volatilidade do índice coma: (i) instabilidade política, elevando o risco Brasil; (ii) crescentes dúvidas com relação a situação fiscal do país, em meio a possibilidade do aumento de gastos pelo governo Bolsonaro (iii) e temores em relação aos impactos da 2ª onda de coronavírus na Europa.

Destaque Positivo: CSN ON (CSNA3)

No mês de Outubro, a CSN foi o grande destaque de alta na nossa carteira de Small Caps. A companhia foi positivamente impactada pela melhora da expectativa do mercado quanto ao minério de ferro, espera de uma rápida recuperação para o mercado de aço e os reajustes de preço, que deverão ocorrer em outubro, anunciados pela empresa.

Para Novembro

Para Novembro, ainda esperamos um cenário de elevada volatilidade, com as eleições presidenciais nos EUA e municipais no Brasil sendo o principal foco para o mês. A retomada da atividade econômica e os desenvolvimentos das vacinas contra a COVID-19 seguem também no radar dos investidores.

Um grande ponto de atenção será a segunda onda de contaminação por coronavírus ao redor do globo, tendência que já vem sendo observada na Europa, onde, em alguns locais, voltaram a estabelecer medidas mais restritas de isolamento social.

Para a carteira, optamos por retirar os ativos CSN, Duratex, Log e Ômega para dar entrada aos da Ambipar, Lojas Quero-Quero, Petz e Tenda. Acreditamos que com estas trocas, seremos capazes de capturar ganhos com ações mais resilientes, com bons históricos e que podem performar mesmo diante de um cenário mais conturbado.

Comentários e Recomendações

Ambipar ON (AMBP3)

A Ambipar começou a ter suas ações negociadas em bolsa em julho desse ano. No entanto, ao contrário do que pode ser esperado de uma companhia com o capital recém aberto, a empresa já possui operação extremamente relevante no mercado de gestão ambiental, além de contratos significativos de longo prazo estabelecidos com grandes corporações. Em maiores detalhes, a Ambipar atua hoje em 15 países diferentes, garantindo soluções personalizadas e integradas através de duas grandes frentes de negócio: a Ambipar Environment e a Ambipar Response. Ainda, seu modelo de negócio estimula a prática ESG nas empresas parceiras, algo que o mercado vem cada vez mais enxergando como importante para compor a estrutura de uma companhia, isso porque a Ambipar atua de ponta a ponta na cadeia ambiental, podendo criar um programa de ações específico para cada caso demandado.

Este business tende a ser cada vez mais procurado pelas companhias, que estão tentando tornar sua operação menos nociva ao meio ambiente, para assim conseguir atuar de forma sustentável no longo prazo.

Acreditamos que a companhia possui grande potencial de apreciação nos próximos meses, baseado: (I) contratos estáveis de longo prazo; (II) empresas parceiras extremamente resilientes; (III) aumento do fluxo de empresas buscando tornar sua atuação menos nociva ao meio ambiente.

Por fim, destacamos o ambiente para aquisições favorável: (i) A Ambipar está altamente capitalizada com os recursos do IPO; (ii) mercado pulverizado em número de empresas tanto no Brasil quanto no exterior; (iii) potencial de aquisições a múltiplos descontados.

Bradespar PN (BRAP4)

A companhia atua de forma direta na administração superior da sua investida. a Vale, com membros no Conselho de administração e Comitês de assessoramento, visando melhorar as práticas de Governança Corporativa adotas. Seu capital votante na empresa totaliza 5,7% do capital total.

Nossa visão para a Vale é positiva, fundamentada na: (i) forte valorização do minério no mercado internacional; (ii) maior demanda da China por minério de maior qualidade; e (iii) melhorias operacionais, reflexo da forte redução de custo caixa, deverão compensar tais efeitos negativos e queda de produção. O anúncio de que a companhia voltará a pagar proventos devem também trazer importante remuneração aos acionistas da companhia.

Locaweb ON (LWSA3)

A companhia de serviços de tecnologia e hospedagem de sites, realizou sua oferta pública inicial de ações no início de 2020 e desde então seus ativos estão mostrando boa performance.

Por fazer parte do setor de tecnologia, a companhia possui vantagem competitiva entre as demais na crise atual. Isso porque, com o isolamento social, a única maneira das pessoas conseguirem se conectar é através da internet. A afirmação é válida também para comerciantes, que tiveram de migrar suas operações para o meio digital.

Ao mesmo tempo, suas duas principais concorrentes, a Rakuten e a Xtech, encerraram suas operações recentemente.

Como consequência disso, em seu resultado, divulgado recentemente, a companhia anunciou que o ritmo de adição de clientes no começo do ano foi de 26% em software como serviço e 103% em comércio eletrônico. Neste ela também registrou aumento de 23,6% em sua receita líquida e de 29,7% em seu lucro líquido.

Em comunicado ao mercado, a Locaweb anúnciou que o GMV teve tendência de crescimento de 80% em abril, comparado ao mesmo mês de 2019 e somou R$ 4,9 bilhões nos doze meses que se encerraram no mês passado.

Por fim, seguindo a estratégia descrita em seu prospecto, a Locaweb já está com sete aquisições em negociações avançadas, sendo que anunciou recentemente a aquisição de três companhias, complementando seu portfolio de produtos e serviços.

Lojas Quero-Quero ON (LJQQ3)

A varejista voltada para os segmentos casa e construção começou a ter suas ações negociadas em bolsa no início de agosto, através de uma oferta pública inicial de ações que levantou quase R$ 2 bilhões.

Hoje a companhia possui 326 lojas, que estão posicionadas em cidades pequenas e médias (de até 300 mil habitantes) na região Sul do país. Isto contribui para que sua concorrência não seja muito agressiva, visto que os grandes players do mercado, que possuem alta escalabilidade, posicionam-se majoritariamente em cidades grandes. Sendo assim, a Lojas Quero-Quero disputa participação de mercado com players locais, que possuem em geral uma atuação mais informal. Estes podem vir a ter um relacionamento de maior proximidade com os clientes que habitam as pequenas cidades, mas ao mesmo tempo, não possuem a escala e a capacidade de oferta de crédito da companhia, o que tornam as barreiras de entrada no segmento relevantes.

Entre as principais oportunidades de crescimento para o negócio, listamos: (i) cerca de 5.400 cidades do Brasil se enquadram nos padrões estabelecidos para abertura de lojas da empresa, que englobam aproximadamente 127 milhões de habitantes; (ii) crescimento acelerado do número de lojas desde 2018 apresentando altos retornos; (iii) 66 lojas que estão no radar para serem reformadas e assim se tornarem mais lucrativa, o que corresponde a 18% do total; (iv) poucos players relevantes em destaque.

Marfrig ON (MRFG3)

O frigorífico está muito bem posicionado para aproveitar as oportunidades no âmbito internacional em 2020. A Febre Suína Africana segue dizimando o maior número de cabeça de porcos na história, criando escassez global de proteína e abrindo oportunidade para doméstica e internacional para rentabilização da empresa. No âmbito de inovação, a empresa segue investindo na criação de novos produtos, principalmente focando nos segmentos veganos. Além disso, a empresa se favorece da demanda aquecida por proteína também nos EUA.

Para o 2020, esperamos: (i) forte resultado na operação da América do Sul devido a enorme demanda chinesa e habilitações recentes de novas plantas; (ii) ciclo do boi positivo na operação dos EUA, favorecido também pela demanda aquecida local; e (iii) foco em inovação em produtos com grande potencial de aceitação no mercado doméstico, tais como carnes de boi e porco veganos.

Destacamos também o valuation atrativo em relação aos seus pares que os papéis são negociados.

Ainda, a empresa tem sido contemplada por recorrentes aprovações de governos saudita e chinês para que suas plantas possam exportar para tais países, podendo destravar valor no médio prazo.

Petz ON (PETZ3)

As ações da companhia vêm apresentando desempenho positivo desde a sua abertura de capital em setembro, o que pode ser justificado pelo case de sucesso da Petz. Com a ajuda de um fundo de Private Equity, a Warburg Pincos, a varejista conseguiu crescer em número de lojas e em faturamento nas mesmas lojas de forma rápida e consistente. Hoje são 110 lojas situadas em 13 Estados do País e no Distrito Federal, e canais digitais operando com omnicanalidade completa.

Ainda, a plataforma de soluções para pets contou com crescimento expressivo de seu e-commerce, que no  3T20, teve performance de vendas superior a do 3T19 em quase 400%, representando aproximadamente 26% de sua receita total.

Acreditamos que a Petz ainda possui muitas oportunidades de crescimento nos próximos meses, como (i) continuidade da sua estratégia de expansão de lojas; (ii) maior investimento em omnichanel, o que permitirá o cadastramento de mais unidades no canal digital e assim colaborará para redução de despesas com logísticas e melhora da experiência do cliente; (iii) expansão das vendas mesmas lojas (SSS); (iv) aumento do ticket médio.

Tenda ON (TEND3)

Dentro do setor de Construção Civil, focando no público de menor renda, a Tenda é nossa preferida.

Em função: (i) capacidade de vendas de forma 100% online; (ii) processo construtivo mais eficiente, o que gera margens brutas mais elevadas em meio a pressão de preços dos materiais construtivos; (iii) potencial de crescimento do volume de lançamentos nos próximos trimestres.

A prévia operacional do 3T20 demonstrou justamente isso sendo o melhor trimestre da companhia em diversos aspectos, com forte crescimento em lançamentos (+29,3% a/a), vendas brutas (+41,7% a/a) e VGV repassado (+125% a/a). Esperamos que essa tendência se mantenha com a manutenção dos juros em patamares baixos impulsionando essa tendência.

Por fim, a companhia ainda apresenta um landbank robusto de mais de R$ 10 bilhões para novos lançamentos.

Grupo Dimed ON (PNVL3)

Quando a pandemia chegou ao Brasil, o setor de farmácias sofreu um movimento similar ao do de supermercados, contando com grande demanda por medicamentos, de consumidores que queriam se estocar, e depois acabaram sentindo uma grande diminuição na frequência de compra de seus clientes, que já possuíam muitos produtos em suas casas. Ainda foram prejudicados, como a grande maioria dos setores, pelo isolamento social, o que reduziu comprar corriqueiras. Indiretamente, o isolamento também fez que com que muitos cancelassem suas consultas médicas eletivas, e deixassem de adquirir possíveis medicamentos recomendados.

O Grupo Dimed consiste em uma rede de farmácias que possui forte atuação na região Sul do Brasil. Recentemente, a companhia realizou uma oferta subsequente de ações, na qual levantou capital relevante, que será destinado ao seu plano de expansão, no qual a empresa fará um aumento no seu número de lojas, principalmente na região Sul, consolidando a sua hegemonia, mas também iniciando uma atuação mais forte em outras regiões.

Sustentamos nossa recomendação no papel, baseada na: (i) recente capitalização; (ii) boas expectativas quanto ao seu projeto de expansão; (iii) provável ganho de eficiência da operação nos próximos meses; (iv) perspectivas positivas quanto à geração de caixa; (v) desconto relevante contra seu principal par (RADL3); e (vi) histórico de execução consistente do management.

Simpar ON (SIMH3)

A Simpar é hoje o maior comprador de caminhões e insumos de transportes rodoviários do Brasil, além de ser um dos maiores compradores de veículos leves do país. Possui um amplo portfólio de serviços com sinergia entre os negócios. A empresa é dona da Vamos, JSL Logística, CS BRASIL, BBC, Original e possui participação de 55% da Movida. Suas operações logísticas diversificadas em cerca de 500 cliente s e 16 setores da economia.

A empresa vem apresentando bons resultados tanto quando se analisa empresa por empresa, quanto se olha o resultado consolidado. O ideal para a empresa é que a alavancagem de nenhuma das empresas ultrapasse 3,5x. 72% do seu EBITDA é proveniente de seus modelos de negócio baseados em locação, business que tem previsibilidade de resultado, escala na compra de ativos a know-how na manutenção e depreciação, e 26% dos baseados em logística, que tem contratos de longo prazo, predominância do modelo asset light e crescimento relacionado à atividade econômica de 16 setores diferentes da economia. Por fim, atuam com capital intensivo em dois setores: papel e celulose e mineração, o resto conseguem fazer via terceirização.

Nos próximos meses, a companhia deve se beneficiar da retomada das atividades, o que deve refletir no aumento do fluxo de veículos leves e pesados.

Via Varejo ON (VVAR3)

A consolidação da atuação omnichanel, com o turnaround operacional da companhia, foco na ampliação de suas vendas, redução de despesas e aprimoramento de seus sistemas operacionais tendem a trazer valor importante para Via Varejo no médio prazo. A aquisição do Banqi também auxilia o posicionamento da empresa no processo de digitalização, ampliando a capacidade em desenvolver também os serviços financeiros online, via carnês e, posteriormente, utilizando a ampla base de clientes das companhias da Via Varejo para integralização dos serviços financeiros.

Com o início da crise da COVID-19 e as medidas de isolamento social, a companhia intensificou suas ações relacionadas ao desenvolvimento da estrutura online. Seu canal digital passou a representar mais de 34% do GMV, com os aplicativos da Casas Bahia e Ponto Frio saindo de 1,5 milhões de downloads em junho/19 para mais de 15 milhões um ano depois.

O follow on realizado recentemente no valor de R$4,45 bilhões, a capitalização via debêntures de R$1,5 bilhão e o alongamento das dívidas de curto prazo com fornecedores devem trazer a solidez financeira necessária para que a Via Varejo amplie sua capacidade de atuação no setor, destravando valor importante para a companhia.

Destacamos ainda o valuation atrativo, VVAR3 é negociado a 1,3x EV/Receita , enquanto MGLU3 é negociado a 5.1 x e BTOW3 a 6.0x.

RENDA VARIÁVEL
[email protected]

Luis Sales – CNPI
[email protected]

“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores,  para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo.  Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução da CVM N° 598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.”

Relacionados

Carteira Semanal de Ações | 23 de Novembro

Essa semana realizamos duas trocas na carteira semanal, retiramos Cosan e PetroRio e incluímos Petrobras e Yduqs. Petrobras [...]

Luis Sales - 23/11/2020

Carteira Semanal de Ações | 16 de Novembro

Essa semana realizamos duas trocas na carteira semanal, retiramos Magazine Luiza e Vale e incluímos Cosan e Itaúsa. [...]

Luis Sales - 16/11/2020

Flash Empresas | Plano&Plano, um nome para manter no radar - Início de Cobertura

Nova oportunidade de investimento dentro do setor, com R$10 bilhões de landbank... A Plano&Plano é uma construtora voltada para a classe [...]

Luis Sales - 13/11/2020

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções