Segundo Tempo: a culpa é da previdência?

Tempo de leitura: 6 minutos

Introdução: No quadro externo, vemos uma continuidade daquilo que observávamos mais cedo. Os mercados europeus seguem mostrando, nas últimas horas, um desempenho mais fraco. Em NY, por outro lado, as bolsas ganham forças. As atenções dos investidores seguem em torno do projeto de lei dos gastos do governo americano, e conflitos envolvendo a embaixada de Jerusalém. No Brasil, o Ibovespa opera em baixa, pressionado pelo cenário político local menos favorável; enquanto dólar e DIs seguem movimento de alta. Agentes de mercado seguem de olho na Reforma da Previdência.


CENÁRIO EXTERNO: TRUMP, E SUAS AÇÕES, SEGUEM NO RADAR.

Sobre o básico dos mercados… Os mercados na Europa encerraram a sessão sem direção clara. Enquanto isso, as bolsas de NY operam no azul. O dólar se mantém firme frente às moedas do G-10 e emergentes, e o petróleo volta a ganhar forças, e é cotado mais próximo dos US$62,00/barril. O dia é mais fraco em termos de agenda econômica e, assim, os investidores seguem atentos ao projeto de lei que evitaria o chamado “shutdown” do governo dos EUA.

Eles querem comprar tempo… Trump e o Congresso têm até a meia-noite desta 6ª feira para aprovar a nova legislação dos gastos do governo americano. Espera-se que um acordo seja firmado, garantindo, ao menos, o funcionamento do governo até o dia 22 deste mês.

Caso contrário…  Trump ganharia tempo com isso (especialmente para discutir o orçamento que será utilizado em defesa nacional, e que precisa ser acordado com o Congresso). Se não houver acordo, parte do governo federal pode “parar de funcionar”. É o chamado “shutdown, que já vimos no passado.

Jerusalém entrou no radar Em paralelo, permanecem as discussões envolvendo o anúncio de Trump, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. Nesta 5ª, o grupo palestino Hamas já convocou protestos contra Israel, além de qualificar a medida como uma “agressão” aos palestinos. Ao que tudo indica, a decisão de Trump parece dar início a mais um conflito geopolítico mundial.


BRASIL: IBOVESPA RECUA; ENQUANTO DIs E DÓLAR SÃO PRESSIONADOS PARA CIMA.

Sobre a previdência… Todos seguem atentos ao noticiário político, que repercute o clima em Brasília. Os mercados reagem de forma negativa à piora das expectativas, e à falta de votos para aprovar a reforma (ao menos até aqui). Não é impossível, mas a probabilidade de a reforma ser aprovada, ainda em 2017, tem recuado nos últimos dias.

Agora é difícil, depois… Votar a reforma em 1º turno na Câmara, já na próxima 4ª, dia 13, parece bem difícil. Começa a ser mais viável uma votação na semana do dia 20. Falamos disto no Mercados Hoje. Até lá, o governo pode conseguir convencer mais deputados.

Contagem de votos… O PP fala que tem 42 votos a favor (dos 44 integrantes do partido). Já o PSDB diz que fará esforços para conseguir 23 (dos 38) votos. O noticiário ainda segue confuso: há diversas “contagens” de votos, e diversas “perspectivas”. Embora nesta manhã a Folha tenha falado em 260 votos, Ciro Nogueira, o presidente do PP, já fala um 294 votos a favor.

Sobre os mercados… Diante deste noticiário local, e diante de um momento menos favorável no exterior para países emergentes, os mercados reagem de forma negativa nesta sessão. O Ibovespa recua, pressionada de forma especial pelo setor de materiais básicos e indústria. Dólar e DIs, por outro lado, avançam, reagindo à maior percepção de risco-país.

A culpa toda é da previdência? A percepção de risco país (medida pelo CDS de 5 anos) também sobe por aqui. Ao redor das 15h, o CDS do Brasil subia uns 2% (ao redor de 165 pontos base), enquanto a média dos países emergentes estava ao redor de 1%. Ou seja: tanto o quadro interno quanto o externo parecem contribuir para os movimentos de hoje.

 

Ignacio Crespo Rey – Economista

 


Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: -0,91%, aos 72.598 pontos;
Real/Dólar: +1,96%, cotado a R$3,298;
Dólar Index: +0,05%, 93,659;
DI Jan/21: +12 pontos base; 9,290%;
S&P 500: +0,34%, aos 2.638 pontos.

*Por volta das 15h03, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

Contatos

Renda Variável*


Luis Gustavo Pereira – CNPI
[email protected]

Equipe Econômica

Ignácio Crespo Rey
[email protected]

Lucas Stefanini
[email protected]

Rafael Gad
[email protected]

*A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/10, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“

Relacionados

Apito Final | O que fará o centrão?

Internacional Com recuperação em foco, ativos americanos encerram a semana com ganhos expressivos;Europa fica acerca da estabilidade após queda na produção industrial [...]

Alejandro Ortiz Cruceno - 09/04/2021

Flash Macro | Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) /março

O IPCA acelerou a alta para 0,93% em março, após avanço de 0,86% em fevereiro. Com isto, o índice acumula alta [...]

Alejandro Ortiz Cruceno - 09/04/2021

Rio Bravo: Olhar Atento | O IPCA

O IPCA acelerou para 0,93% em março, mas ficou abaixo das expectativas do mercado (1,03%). Em 12 meses a inflação registra [...]

Rio Bravo - 09/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções