Cotações por TradingView

Guide Mercados Hoje: Ômicron e Powell Hawk voltam a achatar a curva americana

Tempo de leitura: 13 minutos

No Mercados Hoje falamos sobre a abertura do mercado e listamos os principais acontecimentos do noticiário e da agenda econômica no dia.

Confira o relatório de 01 de Dezembro de 2021!

Mercados Globais:

Ativos de risco globais estão iniciando o último mês do ano em tom de recuperação, com bolsas e commodities no verde, dólar estável e os yields das treasuries devolvendo parte do fechamento acumulado nos últimos dias. Após quedas pautadas no receio com a variante Ômicron e sinalizações de um Federal Reserve mais agressivo no combate à inflação, mercados parecem ter manhã de ajuste enquanto investidores aguardam novos drivers.

Ontem, o testemunho de Jerome Powell frente ao Senado trouxe um tom mais Hawkish do que o mercado estava acostumado, onde o presidente do Fed admitiu a possibilidade de uma antecipação do fim do programa de compras de títulos do BC americano através da aceleração do ritmo de tapering nas próximas reuniões. Naturalmente, o mercado já passa a precificar uma alta do juro básico americano (FFR) de forma antecipada em 2022. Refletindo essa mensagem, assim como o receio de que a Ômicron pressione a retomada econômica, a curva de juros americana voltou a passar por um achatamento (flattening), em que os vértices mais curtos abrem na expectativa de um Fed mais agressivo e os mais longos fecham ou ficam estáveis em patamares reduzidos frente ao receio de uma economia mais fraca nos médio e longo prazos.

Com relação à pandemia, a nova variante continua a se disseminar ao redor do globo, e, mesmo que os infectados ainda estejam apresentando sintomas mais leves até o momento, os governos dos Estados Unidos e do Japão já sinalizaram que vão apertar restrições para viajantes. Na manhã de hoje, o noticiário trouxe poucas novas informações sobre o vírus.

Por fim, olhando para a agenda econômica do dia, o destaque fica com os PMIs industriais para a zona do euro (Markit) e Estados Unidos (Markit e ISM), os dados de emprego no setor privado do ADP nos EUA e o Livro Bege do Federal Reserve – publicação em que os diretores do BC americano relatam suas visões sobre a situação corrente da economia americana.


Nikkei 225: CSI 300: Stoxx 600: S&P Futuro: DXY: Juro T10: N/A (feriado) Petróleo:
-1,63%;
27.821
-0,40%;
4.832
-1,37%;
460,86
-1,11%;
4.604

-0,67%;
95,69

1,43% a.a.
-9,8 BPS;
+4,78%;
US$ 72,53/barril


AGENDA INTERNACIONAL
06h00 – Z. do euro – PMI industrial (nov) – IHS Markit
10h15 – EUA – Emprego no setor privado (nov) – ADP
11h45 – EUA – PMI industrial (nov) – IHS Markit
12h00 – EUA – Gastos com construção (out) – C. Bureau
12h00 – EUA – PMI industrial (nov) – ISM
12h00 – EUA – Testemunho J. Powell – Fed
12h30 – EUA – Estoques de petróleo bruto (26/nov) – DoE
16h00 – EUA – Livro Bege – Fed

HEADLINES

VALOR CCJ aprova PEC dos Precatórios, que deve ir a plenário hoje. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou ontem, por 16 votos a 10, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios. Para conseguir o avanço da matéria, foi necessário que o governo aceitasse uma série de novos ajustes no texto. Uma das principais novidades é o acordo para que os precatórios do Fundef deixem de integrar o teto de gastos. Ainda assim, o governo discutia demandas por mais alterações para garantir o mínimo de 49 votos no plenário. Por essa razão, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), marcou a votação da PEC para hoje. Apesar de todas essas negociações, um dos pontos mais polêmicos da PEC permaneceu inalterado. O texto mantém uma espécie de drible à Lei de Responsabilidade Fiscal, pois o relatório do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo, não aponta fonte de receita para compensar o pagamento do Auxílio Brasil de forma permanente. O parecer final do parlamentar se apoia na tese de que a abertura do espaço fiscal no teto de gastos seria suficiente para garantir a compensação fiscal do novo programa de renda. Além de não prever compensação fiscal, a PEC sugere dispensar de limitações legais e fiscais os programas sociais de combate à pobreza.

VALOR País tem dois casos de nova variante e seis sob suspeita. Os primeiros casos da variante Ômicron do coronavírus, que têm provocado alerta global desde a semana passada, foram identificados no Brasil. Um casal de brasileiros que chegou da África do Sul no dia 23 foi detectado com a nova variante. Os primeiros testes foram feitos ainda no Aeroporto Internacional de Guarulhos pelo laboratório do Instituto Albert Einstein e ontem os resultados foram confirmados pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, o homem tem 41 anos, e a mulher, 37, e com o resultado do primeiro exame foram orientados a ficar isolados em casa. Ao Valor a secretária especial da Covid, Rosana Leite, disse que a Ministério da Saúde está acompanhando os dois casos e mais outros seis possíveis. Ela disse que as informações disponíveis até o momento apontam para uma transmissibilidade maior da Ômicron, mas com tendência de que as vacinas consigam inibir o desenvolvimento de casos mais graves de covid-19. Paulo Menezes, coordenador do Comitê Científico de São Paulo, afirma que os casos da nova variante no Brasil eram uma questão de tempo.

FOLHA Governo retira precatório da educação do teto, e CCJ do Senado aprova novo texto da PEC. Para garantir a aprovação no Senado da PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios, que viabiliza o Auxílio Brasil de R$ 400, o governo cedeu à pressão e aceitou deixar despesas com dívidas ligadas ao Fundef (fundo da área de educação) fora do teto dos gastos. Isso abriu caminho para que a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) aprovasse nesta terça-feira (30) a nova versão da PEC, que agora segue para o plenário do Senado. Mas a resistência da Casa ao projeto não foi sanada, e novas concessões devem ser feitas pelo Palácio do Planalto. O texto foi aprovado na comissão por 16 votos a favor e 10 contra. Na votação no plenário, o governo precisa do apoio de 49 dos 81 senadores, em dois turnos de votação.

FOLHAGoverno quer 23,8 milhões de famílias em programa de desconto na conta de luz. O governo federal quer expandir o número de famílias inscritas no programa Tarifa Social, que concede descontos de até 65% na tarifa de energia. O presidente Jair Bolsonaro participou de cerimônia nesta terça-feira (30) de assinatura de regra da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para automatizar a inclusão de famílias já inscritas em programas sociais do governo. A ideia é que mais 11,5 milhões de famílias possam receber os descontos, somando-se às 12,3 milhões que já estão sendo beneficiadas. A lei da Tarifa Social de Energia Elétrica foi sancionada em setembro por Bolsonaro e permite desconto na conta nos primeiros 220 kWh (quilowatts-hora) consumidos. O valor é concedido de forma escalonada, conforme o consumo das famílias. Pelas regras do programa, famílias inscritas no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal) com renda mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo (R$ 550) têm direito à Tarifa Social.

ESTADÃO Pacheco aumenta pressão por Refis em reunião com empresários. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), voltou a pedir na terça-feira, 30, apoio de empresários para pressionar a Câmara a aprovar o projeto do Refis, que pode perdoar até R$ 60 bilhões em dívidas tributárias. Na reunião com empresários, Pacheco defendeu também a aprovação do projeto que prorroga a desoneração da folha de pagamento de 17 setores que mais empregam no País. A prorrogação do benefício já passou pela Câmara e está à espera do aval do Senado. O projeto estende a desoneração, que acabaria em 2021, por mais dois anos. Nas últimas semanas, o presidente do Senado vem conduzindo essa articulação junto aos empresários interessados no projeto do Refis, que é de sua autoria e foi aprovado pelo Senado no início de agosto. Como o Estadão mostrou, o projeto do novo Refis acabou se transformando em moeda de troca nos bastidores para a votação da PEC dos Precatórios – que foi aprovada na terça na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e deverá passar por novo teste nesta quarta, agora no plenário, com novos ajustes do texto pelo relator, senador Fernando Bezerra (MDB-PE).

ESTADÃOSetor do biodiesel vai a Bolsonaro tentar reverter decisão do CNPE. O setor de biodiesel considerou um “golpe mortal” a decisão do governo de fixar em 10% o porcentual da mistura de biodiesel ao diesel ao longo de 2022, contrariando resolução do mesmo órgão, de 2018, que previa a elevação para 14% no próximo ano, e 15% em 2023. Segundo a Federação Parlamentar do Biodiesel (FPBio), formada por 19 deputados, os efeitos serão sentidos direta e indiretamente por toda a sociedade. Apoiados por outras frentes parlamentares ligadas ao agronegócio, à bioenergia e à bioeconomia, além das entidades do setor de biodiesel, a FPBio decidiu recorrer ao presidente Jair Bolsonaro, para tentar reverter a decisão que afeta 300 mil produtores familiares. Segundo o diretor-superintendente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), Donizete Tokarski, a manutenção do índice em 10% deixará de fora do programa cerca de 20 mil trabalhadores da agricultura familiar, encarregados de fornecer matéria-prima para o biodiesel e “vai aumentar a importação de mais de 2,5 bilhões de litros de diesel fóssil”.

GLOBO‘Rachadinha’: STF anula maioria dos relatórios do Coaf e mantém foro privilegiado de Flávio Bolsonaro. Por três votos a um, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou nesta terça-feira quatro dos cinco dos relatórios feitos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que embasaram a investigação das “rachadinhas” envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, assim como as provas deles decorrentes. Outras partes da investigação, como a quebra do sigilo fiscal e bancário do parlamentar e todas as decisões tomadas pelo juiz de primeira instância Flávio Itabaiana, que tocou o caso até 2020, já tinham sido anuladas pela Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mais cedo, Flávio Bolsonaro obteve outra vitória. Também por três votos a um, a Segunda Turma do STF negou pedido do Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro para devolver a investigação para a primeira instância. Com isso, foi mantida a decisão do Tribunal de Justiça (TJ) estadual que deu foro privilegiado a Flávio.

GLOBOTCU marca sessão secreta para julgar gastos milionários do cartão corporativo de Bolsonaro. O plenário do Tribunal de Contas da União vai julgar, em sessão secreta marcada para esta quarta-feira, uma auditoria de mais de 80 páginas que analisou os gastos com cartão corporativo do presidente Jair Bolsonaro e seus familiares. O relator do processo é o ministro Raimundo Carreiro, indicado pelo presidente da República para assumir a embaixada do Brasil em Portugal. A auditoria foi feita pela equipe técnica do TCU e analisou os gastos, ao longo de 2019, de mais de R$ 14,8 milhões de reais de Jair Bolsonaro e seus familiares. Conforme mostrou O GLOBO no último dia 19, Carreiro foi alvo de um pedido de suspeição da relatoria do caso feito pelo deputado Elias Vaz (PSB-GO), integrante da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados. Elias Vaz é quem assina o pedido de fiscalização dos gastos do presidente.  



AGENDA BRASIL
08h00 – IPC-S (4ªquadrissemana de novembro) – FGV Ibre
09h00 – IPP: Indústrias de transformação e extrativa (out) – IBGE
10h00 – PMI industrial (nov) – IHS Markit
14h30 – IC-Br (nov) – BCB
14h30 – Fluxo cambial semanal (26/nov) – BCB
15h00 – Balança comercial mensal (nov) – Secint

E OS MERCADOS HOJE?
Mercados globais estão amanhecendo em tom de recuperação, com bolsas e commodities em alta após uma terça-feira de desvalorizações pautadas no receio com a Ômicron e com um Federal Reserve mais agressivo no combate à inflação. No Brasil, a aprovação da PEC dos Precatórios na CCJ do Senado não foi o suficiente para apagar as quedas na sessão de ontem, mas a aprovação em plenário nesta quarta-feira pode contribuir com o movimento de recuperação que já vemos tomando forma no exterior. Assim, esperamos uma abertura de viés positivo para ativos locais, que terão seus desempenhos condicionados ao humor externo e à possibilidade de mais um passo à frente da PEC dos Precatórios no Legislativo.


Sobre o fechamento do último pregão:

Ibovespa: 102.954 (+0,71%)
BRL/USD: 5,61 (+0,25%)
DI Jan/27: 11,71% (-13 bps)
S&P 500: 4.655 (+1,32%)


Disclaimer: Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores,  para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo.  Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações. Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Resolução CVM nº 20, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.

Relacionados

Rio Bravo: Olhar Atento | Mais de 40 categorias de servidores públicos aderiram à manifestação

Nesta terça-feira, 18, mais de 40 categorias de servidores públicos aderiram à manifestação pelo reajuste de seus salários. O pedido é [...]

Rio Bravo - 18/01/2022

Guide Empresas: Petrobras atinge recorde de produção em 2021; DIRR acerta compra de ativos da CYRE; e mais!

Petrobras (PETR3;PETR4): Petrobras atinge recorde de produção no pré-sal em 2021Impacto: PositivoDirecional e MRV (DIRR3;MRVE3): Direcional acerta compra de fatia em [...]

Rodrigo Crespi - 18/01/2022

Guide Mercados Hoje: Paralisação dos servidores em Brasília deve amplificar piora de sentimento na volta do feriado em NY

No Mercados Hoje falamos sobre a abertura do mercado e listamos os principais acontecimentos do noticiário e da agenda econômica no [...]

Victor Beyruti Guglielmi - 18/01/2022
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções