+0,00% R$0,00
+0,00% R$0,00
+0,00% Carregando...
Carregando...

Apito Final | Menor aversão global ao risco respinga sobre ativos de risco domésticos e Ibovespa encerra cerca do 99 mil pontos

Victor Beyruti Guglielmi

Internacional
• Ativos financeiros internacionais iniciam semana com forte viés de alta;
• PMI do setor de serviços americano apresenta resultado robusto em junho.

Brasil
• Ibovespa testa os 99 mil pontos e encerra confortavelmente no verde;
• Pesquisa Focus traz reajuste para o PIB, dívida líquida e déficit primário.


FECHAMENTO:

Ibovespa: 98.937
(+2,24%)

BR$/US$: 5,34
(+0,64%)

DI Jan/27: 6,41%
(-3 bps)

S&P 500: 3.179
(+1,59%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

MAIORES ALTAS:

CVCB3: R$ 21,79
(+10,55%)

BTOW3: R$ 118,25
(+8,63%)

QUAL3: R$ 30,71
(+7,38%)

MAIORES BAIXAS:

IRBR3: R$ 9,51
(-1,76%)

NTCO3: R$ 40,66
(-1,55%)

WEGE3: R$ 53,20
(-1,48%)


Cenário Externo:

Mercados… Ativos de risco internacionais operaram confortavelmente em terreno positivo ao longo do pregão desta 2ªf. Assim como na semana passada, o otimismo dos investidores segue sendo justificado por dados econômicos que acumulam evidências de uma recuperação mais rápida. A elevação do apetite pelo risco também foi impulsionada pela melhora de humor verificada nos pregões asiáticos após publicação de uma empresa de mídia chinesa estatal sinalizar por mais incentivos do governo aos mercados. Não obstante, dado que o cenário ainda resguarda importantes riscos de cauda, investidores optaram por continuar protegendo suas posições com alguns ativos de segurança, como o ouro, que também se valorizou na sessão.

Economia americana… O Índice de Gerentes de Compra para o setor de serviços produzido pelo ISM (Institute for Supply Management, na sigla em inglês) surpreendeu as expectativas de mercado e auxiliou na valorização dos ativos nesta 2ªf. Em junho, o índice avançou para 57,1 pts de 45,4 pts em maio, adentrando território expansionista (leitura acima dos 50,0 pts).

Sobre a leitura… A pesquisa mostrou que 50,1% das empresas reportaram crescimento da atividade no período, 47,3% relataram um aumento nos novos pedidos, resultados que apontam para um reaquecimento da demanda.  Apesar disso, apenas 16,1% reportaram um aumento no número de empregados e 35,8% um crescimento nos pedidos de exportações. Ao todo, a pesquisa aponta para a recuperação do setor que mais sofreu com a implementação das medidas de isolamento social e, portanto, deve se beneficiar mais do relaxamento de tais medidas. Contudo, a forte deterioração do mercado de trabalho e a fraca demanda estrangeira continuam se colocando como fortes desafios – não há confiança o suficiente para um salto nas contrações e a mobilidade (turismo) continua restrita no país, dificultando a exportação de serviços.


BRASIL:

Mercados… O Índice Bovespa voltou ao se beneficiar do tom otimista importado do exterior e encerrou a sessão no patamar mais alto dos últimos 4 meses. O câmbio também operou em linha com o exterior: o real abriu em alta contra o dólar, mas perdeu força ao longo do dia – movimento similar ao verificado para a maioria das moedas emergentes – e encerrou a sessão com uma ligeira desvalorização frente à moeda americana. No mercado de juros futuros, as taxas operaram de forma mista ao longo da curva. Os vértices curtos e intermediários abriram, refletindo parcialmente a melhora verificada nas exportações de veículos e na balança comercial, enquanto as taxas longas caíram com a menor aversão ao risco dos investidores. Tal movimento também se fez sentir sobre a percepção de risco-país, medido pelo CDS (Credit Default Swap) de cinco anos, que seguiu operando em queda na sessão.

Pesquisa Focus… Como de costume, o Banco Central do Brasil (BCB) publicou o boletim Focus com as projeções econômicos do mercado nesta 2ªf. Para 2020, apenas o PIB sofreu um ajuste com relação à semana anterior: uma leve alta para -6,50% (ante -6,54%). O reajuste altista da deu-se principalmente em função do resultado melhor do que o esperado da produção industrial, que que catalogou um avanço de 7,0% em maio. As apostas para o IPCA, a Selic e a taxa de câmbio ficaram estáveis em 1,63%, 2,00% e R$ 5,20, respectivamente. Por fim, as expectativas com relação à dívida liquida e ao resultado primário se elevaram para 67,10% e -10,50% (% do PIB), respectivamente, repercutindo o anúncio da extensão do auxílio emergencial pelo governo.

B2W… A companhia de varejo eletrônico encerrou o pregão de hoje entre as maiores altas. Sua performance foi influenciada pela notícia de que sua controladora, Lojas Americanas, fará uma oferta subsequente de ações. Com os recursos da oferta a empresa espera investir em seu braço digital, capitalizar a B2W e otimizar sua estrutura de capital.

Cogna… Na mesma ponta, a companhia teve boa performance na sessão, após anunciar que a Vasta protocolou registro da oferta pública inicial de distribuição de ações classe A. A oferta será realizada exclusivamente no exterior, tendo a Vasta pleiteado a listagem na Nasdaq. Além disso, a Cogna e a Vasta celebraram um Contribution Agreement, formalizando a contribuição de 100% das ações da Somos, hoje detidas pela Cogna, para a Vasta, até a data de precificação da oferta, fazendo com que a Somos passe a ser integralmente detida pela Vasta.

 

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Bitnami