Apito Final: Investidores voltam a assumir mais riscos

Tempo de leitura: 7 minutos

Internacional
• Índices globais dão sequência a os movimentos de alta, mas S&P perde tração no final das negociações;
• Pesquisa do Financial Times aponta para efeito avassalador do vírus sobre a economia americana;
• EUA pretende gastar mais com pequenas empresas

Brasil
• Ativos de risco brasileiros encerram novamente no verde, na esteira do mercado internacional;
• Vendas no varejo avançam 1,2% em fevereiro;


FECHAMENTO:

Ibovespa: 76.368 (+3,08%)
BR$/US$: 5,22 (-1,01%)
DI Jan/27: 7,78% (-6 bps)
S&P 500: 2.659 (-0,16%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

MAIORES ALTAS:

YDUQ3: R$ 26,50 (+19,32%)
BRDT3: R$ 18,28 (+14,97%)
HAPV3: R$ 48,30 (+12,33%)

MAIORES BAIXAS:

SUZB3: R$ 37,19 (-7,07%)
JBSS3: R$ 19,85 (-5,88%)
RAIL3: R$ 19,61 (-5,54%)


CENÁRIO EXTERNO:

Mercados… Bolsas globais deram sequência ao movimento de alta verificado ao longo das negociações de ontem. Movidos pela perspectiva de que a curva de infectados por coronavírus já começa a se estabilizar, investidores assumem se mostram dispostos a assumir mais risco. A notícia de que o Congresso americano pode ampliar o já grandioso pacote de gastos que totaliza US$ 2 trilhões promoveu um impulso adicional aos ânimos dos investidores. Por mais que o Stoxx 600 tenha encerrado as negociações no verde, o S&P500 fechou ligeiramente no vermelho de última hora, refletindo, ainda, o avanço de anseios com relação á cotação do petróleo no mercado internacional, que voltou a despencar no final da sessão.

Os estragos continuam a ser sentidos… Uma pesquisa produzida pelo jornal Financial Times encontrou que 73% das pessoas tiveram sua renda familiar reduzida devido a pandemia do coronavírus. Ainda, metade dos entrevistados alertaram que não teriam fonte de renda alguma para se sustentar caso não pudessem trabalhar devido às complicações médias derivadas da contaminação. A história se reitera: ao passo que consumidores mudam seus hábitos de consumo por obra do medo de contágio e/ou cumprimento das medidas de confinamento preconizadas pelas autoridades, empresas sofrem com uma queda de rentabilidade e demitem empregados ou adiam pagamentos. Com isso, a necessidade de implementar o pacote de gastos o mais cedo possível vai se tornando cada vez mais crítica.

EUA está considerando gastar mais… Agora que o pacote de US$ 2 trilhões está praticamente encaminhado, o país norte-americano pretende ampliar os gastos em US$ 200 bilhões para atenuar ainda mais as condições econômico-financeiras de pequenas empresas assoladas pelas medidas de distanciamento social. Assim como outras medidas, esta visa a manutenção no emprego ao passo que pequenos produtores não conseguem sustentar a folha de pagamentos. Os efeitos econômicos das pandemia estão começando a se mostrar agora nos EUA, e movimentos de forte intensidade são esperados nos mercados ao longo das próximas semanas.


BRASIL:

Mercados… O mercado doméstico continuou se beneficiando da dinâmica positiva observada no exterior e operou com claro viés altista ao longo do pregão desta 3ªf. O otimismo pontual, decorrente de uma aparente continuidade na estabilização de casos de infectados na Europa, alimentou um maior apetite por ativos de risco brasileiros. Tal dinâmica também se verificou para o câmbio, onde o real voltou a ganhar terreno contra o dólar, que registrou forte desvalorização no mercado internacional (DXY). Internamente, o fato de que Bolsonaro não escolheu exonerar Mandetta, o Ministro da Saúde, também promoveu um alívio adicional no que diz respeito a uma agravação da crise de saúde por aqui. O CDS de cinco anos, métrica de risco-páis, operou em leve baixa, mas segue cotado em patamares elevados. No mercado de juros as taxas operaram e queda ao longo do pregão, regidas por um movimento de ajuste com relação às sessões anteriores.

Atividade econômica… As vendas no varejo, como verificado na PMC, aumentaram em 1,2% em fevereiro. O principal destaque no sentido restrito, isto é, aquele que exclui vendas de automóveis e materiais de construção, foram as vendas nos hipermercados. As vendas do setor foram fortemente beneficiadas pelo feriado do Carnaval e pelo arrefecimento do choque nos preços das carnes que, outrora, havia promovido uma redução na renda real do trabalhador. O setor deve seguir beneficiado devido ao processo de estocagem por parte dos consumidores, que temem um sub-abastecimento futuro. Com a implementação das medidas de confinamento, outros segmentos do varejo como combustíveis, vestuários, automóveis e eletrodomésticos devem passar por uma intensa deterioração na leitura de março. Portanto, apsear de positivo, o avanço de fevereiro deve ser rapidamente revertido na leitura do próximo mês.

Suzano… A companhia encerrou o dia entre as maiores quedas do Ibovespa. Movimento do papel hoje pode ser justificado pela valorização do real frente ao dólar, já que 80% das receitas da companhia são em dólar, enquanto 80% de seus custos são em real. Além disso, sua performance foi reflexo de um movimento de realização, após altas consecutivas nos últimos dias.

BR Distribuidora… A assimetria de preço a qual o preço da ação apresentava levou o ativo a ser um dos principais destaques em um pregão positivo para ativos de risco. O papel vem ganhando destaque depois da divulgação de dados na última semana pela Cielo, os quais informaram que o faturamento do varejo de bens não duráveis, em que o setor de combustíveis se inclui, teve a menor queda entre os setores pesquisados entre 29 de março e 1 de abril. Por fim, o relatório de uma casa de análise reforçando a tese de que a empresa está barata, fez com que o ativo tivesse um impulso adicional no pregão dessa quarta-feira.

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“

Relacionados

Apito Final | Ainda sem orçamento

Internacional Índices internacionais iniciam a semana de lado, sem grandes destaques;Dados referentes aos fundamentos macroeconômicos dos EUA garantem reforço ao otimismo com [...]

Alejandro Ortiz Cruceno - 12/04/2021

Carteira Semanal de Ações | 12 de Abril

Nesta semana, optamos por realizar duas alterações pontuais em nossa Carteira Semanal. Totvs ON (TOTS3) Gol PN (GOLL4) Performance: A [...]

Luis Sales - 12/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções