+0,00% R$0,00
+0,00% R$0,00
+0,00% Carregando...
Carregando...

Apito Final | Ibovespa encerra no verde a despeito da destruição liquida de mais de 331 mil postos no mercado de trabalho

Victor Beyruti Guglielmi

Internacional
• Bolsas globais iniciam a semana em tom positivo com expectativa de retomada econômica em “V”;
• Diversos índices apontam para melhora da confiança na economia europeia.

Brasil
• Ibovespa acompanha exterior e opera em alta;
• Caged registra destruição de mais de 331 mil postos de trabalho em maio;
• Tesouro Nacinal registra, em maio, déficit de 4,1% do PIB no acumulado de 12 meses.


FECHAMENTO:

Ibovespa: 95.735 (+2,03%)
BR$/US$: 5,40 (-1,49%)
DI Jan/27: 6,71% (-10 bps)
S&P 500: 3.053 (+1,47%)

Fonte: Bloomberg. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg

MAIORES ALTAS:

VVAR3: R$ 15,38 (+7,63%)
EMBR3: R$ 8,42 (+7,54%)
PCAR3: R$ 72,90 (+5,94%)

MAIORES BAIXAS:

BRFS3: R$ 20,87 (-2,70%)
TIMP3: R$ 13,77 (-1,85%)
CSNA3: R$ 10,55 (-1,49%)


Cenário Externo:

Mercados… Bolsas globais contrariam a tendência inicial do dia e operaram no verde ao longo do pregão desta segunda-feira. A despeito do surgimento de uma segunda onda de infecções em diversas regiões do mundo, o ceticismo em torno da volta de medidas de isolamento e a expectativa de uma recuperação econômica mais rápida seguiu sustentando os mercados. Na agenda econômica, o avanço robusto de 44,3% nas vendas de casas pendentes nos EUA sinalizou uma melhora relevante do mercado imobiliário americano e a melhora ilustrada pelo índice de confiança na economia europeia animaram os mercados. Ao final do dia, tanto o S&P500, índice americano, quanto o Stoxx 600, seu par europeu, encerram o dia confortavelmente no verde.

Economia europeia… Uma série de indicadores de confiança relacionados aos setores produtivos do continente apontaram para melhoras relevantes. Em junho, o indicador de confiança na economia europeia avançou para 75,7 de 65,7 em maio. Na leitura, a confiança da indústria foi de -27,5 para -21,7, do setor de serviços de -43,6 para -35,6 e a confiança do consumidor ficou estável em -14,7. Esses resultados refletem tanto o processo gradual de reabertura quanto as medidas fiscais e monetária implementadas de forma a amortecer a crise. O ressurgimento de casos do coronavírus no leste europeu, conjugado à ausência de uma vacina, porém, mantém os índices situados em território negativo, explicitando a supressão de demanda que decorre da atual situação.


BRASIL:

Mercados… Sem grandes novidades no noticiário local, o Índice Bovespa ficou à mercê dos movimentos verificados no exterior. A despeito da deterioração dos fundamentos macroeconômicos, além do constante avanço de novos casos e mortes por covid-19, investidores aproveitaram a queda da bolsa na semana passada (o Ibovespa encerrou a semana com variação negativa de 2,8%) para obter ativos com preços reduzidos. No mercado cambial, o dólar operou em queda a despeito do ligeiro fortalecimento da divisa americana no exterior. A queda na cotação da divisa americana repercutiu o resultado melhor do que o esperado no resultado primário do governo central, que registrou déficit de R$ 126 bilhões em maio, ante expectativas que previam um resultado equivalente a R$ 131,4 bilhões. Tal resultado também surtiu efeito baixista tanto sobre o risco-país, medido pelo CDS de cinco anos, quanto sobre a parte longa da curva de juros.

Contas públicas… Como mencionamos acima, o resultado primário do governo central atingiu em maio um déficit de R$ 126,6 bilhões. Com isso, o déficit acumulado em 12 meses foi de R$ 300 bilhões, ou -4,1% do PIB. No mês, a receita total variou -36,9% em termos reais devido ao diferimento de contribuições federais e à queda na atividade econômica. As despesas cresceram 68,0% em função da antecipação do 13º e de outras medidas extraordinária de combate à crise. Estas últimas mostraram os impactos iniciais do pacote de auxílio a estados e municípios (R$ 0,9 bilhão) e da segunda parcela do auxílio emergencial (R$ 41,1 bilhões). Para os próximos meses, não esperamos resultados muito diferentes, tendo em vista a manutenção dos gastos extraordinários e o fato de que o executivo e o Congresso planejam a extensão do auxílio emergencial para os próximos meses.

Atividade econômica… Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontaram para a destruição líquida de 331.901 postos de trabalho em maio. Entre março, quando se iniciou a crise da covid-19 por aqui, e maio, o resultado é ainda mais estarrecedor: fechamento de 1,487 milhões de postos de trabalho. O saldo negativo do mês, no entanto, foi influenciado principalmente pela queda acentuada nas admissões (-48% a/a). No que se refere ao rendimento do fator trabalho, houve queda real de -4,35% no salário médio de admissão, levando o mesmo para R$ 1.731,33. Desta forma, o dado segue ilustrando uma forte elevação da ociosidade na economia brasileira. Decorre deste fato a explicação parcial por trás dos movimentos deflacionários verificados nas leituras do IPCA para o mesmo mês. Para o mês de junho, não esperamos movimentos diferentes, tendo em vista que a recessão reduziu significativamente o nível de renda da economia, impossibilitando uma rápida retomada do consumo e, consequentemente, do mercado de trabalho.

Embraer… A companhia encerrou o dia entre os destaques de alta em dia favorável para ativos de risco. Além disso, a empresa entregou à Força Aérea Brasileira (FAB) o terceiro avião de transporte multimissão C-390 Millennium, que fazia parte de um pedido de 25 aeronaves. Esta aeronave será operada pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa e é preparada para realizar missões de reabastecimento aéreo, com a designação KC-390 Millennium.

IRB… Na mesma ponta, os ativos da empresa apreciaram na sessão de hoje. O IRB divulgará seu balanço referente ao 1T20 após o fechamento do mercado. Estes são aguardados com grande expectativa, após dois adiamentos enquanto investidores tentavam desvendar os reais impactos do esquema de fraude descoberto na empresa e da divulgação feita a respeito de sua base acionária.

 

Equipe Econômica

Conrado Magalhães
[email protected]

Alejandro Ortiz Cruceno
[email protected]

Victor Beyruti Guglielmi
[email protected]

“Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº.598/2018, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
Bitnami